Mercado fechará em 4 h 49 min
  • BOVESPA

    107.661,07
    -1.280,61 (-1,18%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -909,02 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,64
    -1,50 (-1,76%)
     
  • OURO

    1.836,10
    +4,30 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    33.197,68
    -2.677,07 (-7,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    755,13
    +512,45 (+211,16%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,03 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.369,70
    -124,43 (-1,66%)
     
  • HANG SENG

    24.656,46
    -309,09 (-1,24%)
     
  • NIKKEI

    27.588,37
    +66,11 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    14.138,75
    -287,75 (-1,99%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2003
    +0,0103 (+0,17%)
     

Frente Popular do Equador anuncia protestos contra política econômica governo

·1 min de leitura
(Arquivo) O presidente do Equador, Guillermo Lasso (AFP/GABRIEL BOUYS)

A Frente Popular (FP), que reúne setores sociais de trabalhadores, professores, camponeses, estudantes e coletivos de mulheres no Equador, anunciou neste domingo protestos contra a política econômica do governo, em meio ao aumento dos casos de Covid-19 no país.

“No dia 19, estaremos presentes em todas as jornadas de mobilização nacional”, afirmou à AFP o presidente nacional da FP, Nelson Erazo. O protesto é motivado pela “estupidez do governo em manter o preço dos combustíveis como até agora, e pretende privatizar instituições públicas”, citou.

O anúncio coincide com um aumento semanal dos casos de Covid semelhante aos "piores surtos" da pandemia, embora sem um aumento significativo da mortalidade, informou anteontem a ministra da Saúde, Ximena Garzón.

- Dupla proteção -

Em um comunicado que listou as resoluções de uma assembleia realizada ontem, a FP pediu que se preparem ações de protesto contra o governo.

"Em 12 de janeiro, começamos com comícios e mobilizações em frente a tudo relacionado à Seguridade Social (pública)”, informou Erazo, para quem “o governo quer entregá-la a empresas privadas". Além disso, "iremos exigir o uso da máscara com dupla proteção" para participar das manifestações.

A FP rechaça "a política antipopular e neoliberal" do presidente de direita, Guillermo Lasso, que mantém vários acordos com o Fundo Monetário Internacional (FMI) para receber empréstimos. Lasso decretou aumentos de até 12% no ano passado, elevando o preço do diesel de US$ 1,69 para US$ 1,90, e o da gasolina, de US$ 2,50 para US$ 2,55.

Desde 2020, o valor dos combustíveis no Equador cresceu progressivamente 90%. O aumento gerou manifestações e fechamentos de estradas por setores indígenas e de trabalhadores em todo o país.

dsl/llu/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos