França retira do mercado várias marcas de lasanha por caso da carne de cavalo

Paris, 9 fev (EFE).- Lotes de lasanha de marcas como Picard, Carrefour e Systeme U foram retirados das lojas na França perante a possibilidade de que contenham carne de cavalo ao invés de carne bovina, como ocorria com as mercadorias da Findus, já que em todos os casos os alimentos eram fabricados com carne do mesmo fornecedor em Luxemburgo.

A emissora de rádio "Europe 1" explica que o grupo francês Comigel elaborava as lasanhas para a Findus, Picard, Carrefour e Systeme U e há suspeitas que o circuito de abastecimento de carne seja o mesmo que tinha sua origem em um matadouro romeno de onde saía a carne de cavalo, depois comercializada como bovina.

Um representante da Picard confirmou em declarações que a retirada afeta dois lotes de lasanhas "Formule Express" porque suas exigências com os provedores são "muito estritas: a carne deve ser 100% de bovino".

O funcionário disse que estão sendo realizadas análises para verificar se o alimento em questão cumpre essa regra.

O escândalo teve início no Reino Unido - onde o consumo de carne de cavalo é muito mal visto - mas se estendeu a diversos países europeus.

Assim, na França o Governo dirige uma investigação através de seus serviços antifraude, enquanto várias empresas envolvidas denunciam que foram vítimas da fraude.

O ministro francês de Consumo, Benoît Hamon, explicou que a carne de cavalo foi comprada em um matadouro pelo grupo francês Spanghero, que para isso passou por um comerciante do Chipre, que por sua vez terceirizou a operação a outro comerciante com base na Holanda.

A Spanghero, que afirma que entregou carne de bovino e não de cavalo, não a elaborou diretamente, mas a adquiriu para Comigel, que em sua fábrica de Luxemburgo a transformou em lasanhas e outros pratos pré-preparados. EFE

Carregando...