Mercado abrirá em 3 h 34 min
  • BOVESPA

    109.786,30
    +2.407,38 (+2,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.736,48
    +469,28 (+1,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,50
    +0,59 (+1,31%)
     
  • OURO

    1.811,10
    +6,50 (+0,36%)
     
  • BTC-USD

    19.063,01
    +209,03 (+1,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    377,74
    +7,99 (+2,16%)
     
  • S&P500

    3.635,41
    +57,82 (+1,62%)
     
  • DOW JONES

    30.046,24
    +454,97 (+1,54%)
     
  • FTSE

    6.456,11
    +23,94 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    26.669,75
    +81,55 (+0,31%)
     
  • NIKKEI

    26.296,86
    +131,27 (+0,50%)
     
  • NASDAQ

    12.115,75
    +39,75 (+0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4149
    +0,0180 (+0,28%)
     

França registra mais de 40 mil novos casos de covid-19 pela 1ª vez

·1 minuto de leitura

Nas últimas 24 horas, a doença fez mais 162 vítimas desde ontem, elevando o total de mortos para 34.210 A França registrou 41.622 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, um recorde desde o início da pandemia. Além disso, a doença fez mais 162 vítimas desde ontem, elevando o total de mortos para 34.210. Os números foram divulgados pelo Ministério da Saúde pouco depois de o primeiro-ministro do país, Jean Castex, anunciar uma extensão do toque de recolher já adotado em Paris e outras oito grandes cidades para outras regiões francesas. Ao lado de Castex, o ministro da Saúde, Olivier Verán, disse que o país poderia chegar a 50 mil casos de covid-19 por dia caso o toque de recolher não fosse ampliado. Agora, quase 70% da população do país, de 67 milhões de habitantes, não poderá sair de casa entre 21h e 6h. A cifra de hoje é ainda muito superior aos cerca de 26 mil casos registrados ontem na França. Com a nova atualização, o país está prestes a superar a marca de 1 milhão de infectados pela doença desde o início da pandemia, marca só atingida pela Espanha dentro da União Europeia (UE). Verán afirmou que o número de novos infectados está dobrando a cada 15 dias, apesar dos esforços do governo para tentar conter a disseminação do vírus.