França não planeja elevar impostos nos próximos anos

O ministro do Orçamento francês, Jerome Cahuzac, disse neste domingo que o governo não planeja qualquer aumento de impostos para os próximos anos, em uma tentativa de oferecer estabilidade a empresas e contribuintes e evitar a saída do país de cidadãos com rendimentos elevados, como o ator Gerard Depardieu, por razões de impostos.

"Precisamos de estabilidade de impostos, porque pedir por mais seria pedir muito e porque indivíduos e empresas precisam de visibilidade, precisam saber quanto de imposto vão pagar em um ano, dois ou três", afirmou Cahuzac durante entrevista à rádio francesa Europe 1.

A administração do presidente François Hollande, eleito em maio, aumentou recentemente a faixa para o pagamento de impostos com o objetivo de reduzir o déficit orçamentário do país para o equivalente a 3% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2013.

Outras medidas estão fazendo com que os contribuintes deixem o país, afirmam os críticos. A iniciativa específica, de criar um novo imposto de 75% sobre a renda para quem ganha mais de 1 milhão de euros por ano, aumentou a controvérsia e resultou na saída do país de muitos executivos e empresários.

O ator francês Gerard Depardieu trocou a França pela Bélgica ao final de 2012 dizendo que queria pagar menos imposto. Ele abriu mão de seu passaporte após o primeiro-ministro do país Jean-Marc Ayrault ter descrito sua atitude como "patética". O ator se tornou cidadão russo após o presidente Vladimir Putin ter lhe oferecido cidadania na última quinta-feira e o presenteou com um passaporte russo neste domingo.

Outros empresários e celebridades anunciaram recentemente estarem se mudando da França, citando impostos e outras razões como necessidades dos negócios. As informações são da Dow Jones.

Carregando...