Mercado abrirá em 1 h 20 min
  • BOVESPA

    109.717,94
    -517,82 (-0,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.460,55
    +652,34 (+1,36%)
     
  • PETROLEO CRU

    92,91
    -1,43 (-1,52%)
     
  • OURO

    1.802,20
    -5,00 (-0,28%)
     
  • BTC-USD

    23.688,04
    -855,54 (-3,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    561,96
    -12,78 (-2,22%)
     
  • S&P500

    4.207,27
    -2,97 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    33.336,67
    +27,16 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.476,73
    +10,82 (+0,14%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.354,50
    +43,25 (+0,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3159
    -0,0078 (-0,15%)
     

França: novas regras para viajantes entram em vigor na luta contra onda epidêmica

·1 min de leitura

Diante da violenta onda epidêmica, a França impõe novas exigências para entrada em seu território, que começam a ser aplicadas neste sábado (4). Brasileiros vacinados poderão entrar no país, mas deverão realizar um teste PCR ou um de antígenos de menos de 48 horas antes do embarque e na chegada ao território francês.

Sem imunização, as autoridades francesas restringirão o acesso a viajantes brasileiros com "motivos imperiosos", que possuam, por exemplo, vistos de permanência ou estejam inscritos em universidades ou outras instituições de ensino. As vacinas aceitas pelo país, de acordo com o documento disponibilizado no site do governo francês, são a Pfizer, Moderna e AstraZeneca, a duas doses, além da Johnson & Johnson.

A Coronavac não é mencionada, mesmo após a terceira dose de reforço com um imunizante a base de RNA mensageiro. O Brasil integra a chamada lista vermelha estabelecida pela França, que inclui países onde o vírus circula ativamente, com variantes consideradas preocupantes.

Nesta sexta-feira (3), a França registrou quase 50 mil casos de Covid-19. A onda epidêmica ainda é provocada pela delta, a cepa dominante, apesar da alta taxa de vacinação do país - cerca de 90% da população de mais de 12 anos está imunizada. A alta de contaminações repercute nos hospitais, que recebem atualmente 11.103 pacientes de Covid-19. Cerca de 2.058 estão internados nas unidades de terapia intensiva, a maior parte não está vacinada.

Restrições contra não vacinados?


Leia mais

Leia também:
França vai exigir teste negativo de Covid para viajantes de fora da UE, mesmo vacinados
França confirma primeiro caso da variante ômicron da Covid-19
França confirma primeiro caso da variante ômicron em subúrbio de Paris

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos