Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.131,73 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,63 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    36.732,76
    -1.105,88 (-2,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,26 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +77,00 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,08 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

França mantém restaurantes e bares fechados pelo menos até fevereiro

·1 minuto de leitura
Usando máscaras faciais, pessoas passam pela decoração natalina de uma loja de departamentos em Paris, 24 de dezembro de 2020

Os restaurantes e bares na França permanecerão fechados pelo menos até meados de fevereiro para evitar um aumento nas infecções por covid-19, anunciou o primeiro-ministro Jean Castex nesta quinta-feira (7).

"Museus, cinemas, teatros, instalações esportivas e de lazer não verão nenhum relaxamento nas próximas semanas", disse Castex em uma coletiva de imprensa com o ministro da Saúde, Olivier Véran.

Os bares e restaurantes ficarão fechados pelo menos até meados de fevereiro, enquanto os espaços culturais poderão voltar a receber público no início do próximo mês, mas de forma progressiva e respeitando um rígido protocolo sanitário.

"Embora o vírus circule um pouco menos na França em relação à maioria dos países vizinhos, o nível de infecções continua alto e a tendência vem aumentando desde meados de dezembro", justificou Castex.

"Não devemos baixar a guarda", acrescentou.

A França, onde mais de 66.000 pessoas morreram de covid desde março passado, registra uma média de 15.000 casos diários do novo coronavírus. A título de comparação, o Reino Unido registrou mais de 50.000 casos por dia, em média, durante mais de uma semana.

No entanto, a situação continua "preocupante". O governo francês olha com particular preocupação para a propagação na França da variante britânica do vírus, "entre 40% e 70% mais contagiosa", segundo Véran, e da qual duas fontes de "risco" foram detectadas em território francês, um na região de Paris e outro na Bretanha (oeste).

No total, 19 casos de contaminação com essa variante são contabilizados na França e três com uma variante localizada na África do Sul.

Para combater a propagação da variante britânica, que obrigou a Inglaterra a impor um novo confinamento, as fronteiras da França com o Reino Unido permanecerão fechadas "até novo aviso", disse Castex.

meb/bc/ap/mvv