Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.291,59
    +413,06 (+0,37%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.934,21
    +259,38 (+0,59%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,64
    +0,36 (+0,80%)
     
  • OURO

    1.844,80
    +3,70 (+0,20%)
     
  • BTC-USD

    19.441,26
    +492,36 (+2,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    382,08
    +7,67 (+2,05%)
     
  • S&P500

    3.666,72
    -2,29 (-0,06%)
     
  • DOW JONES

    29.969,52
    +85,73 (+0,29%)
     
  • FTSE

    6.490,27
    +26,88 (+0,42%)
     
  • HANG SENG

    26.728,50
    +195,92 (+0,74%)
     
  • NIKKEI

    26.809,37
    +8,39 (+0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.488,25
    +34,00 (+0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2360
    -0,0838 (-1,33%)
     

França irá flexibilizar regras de restrição social em três etapas, diz governo

·1 minuto de leitura

PARIS (Reuters) - A França começará a flexibilizar as regras de restrição social contra o coronavírus nas próximas semanas, realizando o processo em três estágios para evitar um novo surto da pandemia, disse o governo neste domingo.

Na próxima terça-feira, o presidente Emmanuel Macron fará um discurso à nação sobre a situação do vírus e deverá anunciar o relaxamento parcial das restrições que estão em vigor desde 30 de outubro.

"Emmanuel Macron dará perspectivas sobre várias semanas, especialmente sobre como ajustaremos nossa estratégia. O que está em jogo é adaptar as regras de restrição à medida que a situação de saúde melhora e, ao mesmo tempo, evitar um novo surto de epidemia", disse o porta-voz do governo, Gabriel Attal, ao Le Journal Du Dimanche.

"Haverá três etapas para flexibilização em função da situação de saúde e dos riscos vinculados a alguns negócios e comércios: uma primeira etapa por volta de 1º de dezembro, depois outra antes dos feriados de fim de ano e uma terceira a partir de janeiro de 2021", acrescentou Attal.

Macron disse que o segundo lockdown nacional da França, que começou em 30 de outubro, duraria pelo menos quatro semanas. As restrições incluem o fechamento de lojas não essenciais, restaurantes e bares.