Mercado abrirá em 5 h 22 min
  • BOVESPA

    110.611,58
    -4.590,65 (-3,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.075,41
    +732,87 (+1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,37
    -0,68 (-1,05%)
     
  • OURO

    1.691,60
    +13,60 (+0,81%)
     
  • BTC-USD

    53.706,51
    +3.128,52 (+6,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.081,73
    +57,52 (+5,62%)
     
  • S&P500

    3.821,35
    -20,59 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    31.802,44
    +306,14 (+0,97%)
     
  • FTSE

    6.719,13
    +88,61 (+1,34%)
     
  • HANG SENG

    28.630,20
    +89,37 (+0,31%)
     
  • NIKKEI

    29.027,94
    +284,69 (+0,99%)
     
  • NASDAQ

    12.422,25
    +125,00 (+1,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9745
    +0,0147 (+0,21%)
     

França exigirá testes PCR para viajantes europeus a partir de domingo

·1 minuto de leitura
O presidente da França, Emmanuel Macron, em encontro com estudantes em 21 de janeiro de 2021

A França exigirá a partir de domingo um teste PCR realizado 72 horas antes da partida da maioria dos viajantes europeus que desejam entrar em seu território, informou o Eliseu nesta quinta-feira (21).

O governo francês revelou que o presidente Emmanuel Macron anunciou a medida ao Conselho Europeu.

Esta obrigação será aplicada "exceto para viagens essenciais. Em particular, os trabalhadores fronteiriços e o transporte terrestre estarão isentos", especificou.

Paris já havia decidido em 14 de janeiro impor essa regra aos viajantes de países fora da União Europeia (UE). Os trabalhadores transfronteiriços e "essenciais" já estavam isentos da obrigação de apresentar um teste PCR.

O Eliseu garantiu que a abordagem seguida por Macron é a de "muitos de seus colegas europeus".

Em Estocolmo, a agência europeia de epidemias instou os europeus a "se prepararem para uma rápida escalada de rigor nas medidas [para conter o vírus] nas próximas semanas com o objetivo de preservar a saúde e acelerar as campanhas de vacinação”.

Na França, com quase 72.000 mortes devido à pandemia, o número de infecções registradas mais uma vez ultrapassou 20.000 nesta quinta-feira, e a possibilidade de um terceiro confinamento parece se aproximar.

A decisão de Macron acontece no final de uma cúpula por videoconferência dos 27 Estados membros durante a qual Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, alertou sobre "a situação de saúde extremamente grave" causada em toda a Europa pela pandemia do novo coronavírus.

cs-jri/am/erl/am/mvv