Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    59.321,14
    +780,63 (+1,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

França afirma que 'não há motivo para suspender' vacinação com AstraZeneca

·2 minuto de leitura
Profissional de saúde prepara vacina AstraZeneca Covid-19 no hospital universitário em Halle / Saale, leste da Alemanha, em 12 de fevereiro de 2021

A França continuará usando a vacina da AstraZeneca, segundo declarou nesta quinta-feira (11) seu ministro da Saúde, depois que vários países europeus suspenderam as injeções do imunizante como medida de precaução após a aparição de coágulos de sangue em pessoas que foram vacinadas.

"Encaminhei o assunto para a Agência Nacional para a Segurança dos Medicamentos. Segundo ela, não há nenhum motivo para suspender a vacinação com a AstraZeneca", disse Olivier Véran em coletiva de imprensa.

"O benefício da vacinação é considerado maior que os riscos até o momento", acrescentou o ministro.

Dinamarca, Islândia e Noruega suspenderam por "precaução" o uso da vacina desenvolvida pelo laboratório britânico e a Universidade de Oxford, enquanto investigam supostos casos de coágulos que levaram a tromboses.

No entanto, para o ministro francês, o risco não é estatísticamente maior nos pacientes vacinados com a AstraZeneca do que nos outros.

A decisão da França segue as recomendações da Agência Europeia de Medicamentos (EMA), que nesta quinta-feira defendeu a continuidade do uso da vacina.

Segundo a EMA, foram registrados até terça-feira apenas 22 casos de trombose entre as três milhões de pessoas vacinadas na União Europeia (UE), assim como na Noruega e Islândia, que participam da estratégia comum de vacinas.

"Estão sendo realizadas pesquisas na França e no exterior. O Reino Unido, que vacinou milhões de pessoas com a vacina da AstraZeneca, pede que continue a campanha e não observou riscos em grande escala de eventos adversos graves", disse Véran.

Além dos países já citados, a Áustria anunciou na segunda-feira que deixou de administrar um lote de vacinas do laboratório após a morte de uma enfermeira de 49 anos que sofreu "graves problemas de coagulação" poucos dias depois de ser vacinada.

Outros quatro países europeus - Estônia, Lituânia, Letônia e Luxemburgo - suspenderam imediatamente a vacinação com doses deste lote, que foi entregue a 17 países e que incluía um milhão de vacinas.

A Itália, que não recebeu vacinas desse lote, também suspendeu nesta quinta-feira a aplicação da AstraZeneca como medida de precaução.

meb/jz/aa