Mercado abrirá em 7 h 47 min
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,88 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,40 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,75
    +0,47 (+0,43%)
     
  • OURO

    1.853,60
    +11,50 (+0,62%)
     
  • BTC-USD

    30.139,25
    +820,40 (+2,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    673,46
    +0,09 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,80 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.327,28
    -389,96 (-1,88%)
     
  • NIKKEI

    26.900,97
    +161,94 (+0,61%)
     
  • NASDAQ

    11.958,75
    +118,00 (+1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1661
    +0,0133 (+0,26%)
     

Foxconn vê desafios à frente por causa de lockdown e inflação na China

Por Yimou Lee e Sarah Wu

TAIPÉ (Reuters) - A Foxconn, fornecedora da Apple, alertou que a receita do trimestre atual para seus negócios de eletrônicos, incluindo smartphones, pode cair dada a desaceleração do crescimento econômico em meio ao aumento da inflação, o que esfria a demanda e aumenta os problemas da cadeia de suprimentos.

Embora a empresa tenha reiterado que as restrições contra a Covid-19 na China tiveram um impacto limitado em sua produção, pois a companhia manteve os trabalhadores em um sistema de "circuito fechado", a demanda por seus produtos no país diminuiu enquanto parte da população permanece em lockdown.

As previsões reforçam a urgência da Foxconn em reduzir sua dependência de smartphones e eletrônicos de consumo, que representam pouco mais da metade de sua receita total, e diversificar em áreas como a fabricação de veículos elétricos, que considera um negócio de 34 bilhões de dólares até 2025.

A empresa espera que a receita total fique estável no trimestre atual e no ano inteiro. O presidente da Foxconn, Liu Young-way, não forneceu uma perspectiva numérica, mas projetou um forte crescimento para os outros negócios, como de componentes, produtos de computação e produtos de nuvem e rede.

No primeiro trimestre encerrado em março, a receita da Foxconn cresceu 4%. O lucro líquido avançou 5%, para 29,45 bilhões de dólares taiwaneses (985,48 milhões de dólares), praticamente em linha com uma estimativa de 29,76 bilhões de dólares taiwaneses, segundo analistas consultados pela Refinitiv.

Em automóveis, a Foxconn disse que desenvolverá novos veículos com a fabricante de veículos elétricos dos Estados Unidos Lordstown. Na quarta-feira, a empresa de Taiwan disse que concluiu um acordo para comprar uma fábrica da Lordstown no Estado norte-americano de Ohio por 230 milhões de dólares.

As ações da Foxconn fecharam em queda de 1% antes da divulgação dos resultados.

(Por Yimou Lee e Sarah Wu; reportagem adicional de Ben Blanchard)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos