Mercado abrirá em 39 mins
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.867,62
    +338,65 (+0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,26
    -0,09 (-0,15%)
     
  • OURO

    1.783,60
    -9,50 (-0,53%)
     
  • BTC-USD

    54.985,95
    -29,73 (-0,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.280,34
    +17,38 (+1,38%)
     
  • S&P500

    4.173,42
    +38,48 (+0,93%)
     
  • DOW JONES

    34.137,31
    +316,01 (+0,93%)
     
  • FTSE

    6.905,46
    +10,17 (+0,15%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.893,75
    -25,50 (-0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6641
    -0,0379 (-0,57%)
     

Foxconn tem queda no lucro e alerta para escassez de materiais

Yimou Lee
·1 minuto de leitura
.

Por Yimou Lee

TAIPÉ (Reuters) - A Foxconn, fornecedora da Apple, divulgou nesta terça-feira queda no lucro do quarto trimestre após ser impactada por efeitos da pandemia. A companhia alertou para a "escassez de materiais" gerada por oferta limitada de chips.

A companhia taiuanesa, maior fabricante de produtos eletrônicos do mundo em regime de terceirização, teve lucro líquido de 45,97 bilhões de dólares de Taiwan (1,61 bilhão de dólares) de outubro a dezembro, queda de 4% em relação a um ano antes. Analistas, em média, esperavam resultado positivo de 50,89 bilhões de dólares de Taiwan, segundo dados da Refinitiv.

Apesar da queda no lucro, a receita do período subiu 15%, puxada por crescimento nas vendas de smartphones e outros produtos eletrônicos de consumo.

O presidente do conselho de administração da Foxconn, Liu Young-way, afirmou que a companhia está acompanhando de perto a falta de materiais na cadeia de suprimentos e que isso poderia afetar menos de 10% das encomendas dos clientes.

"A pandemia e a escassez de materiais podem impactar nossa performance adiante. É por isso que estamos sendo cautelosos", disse o executivo. Ele acrescentou que espera que o problema de falta de componentes possa durar até o próximo ano.

(Por Yimou Lee e Ben Blanchard)