Mercado abrirá em 5 h 36 min
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,69 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,11 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    67,96
    +1,70 (+2,57%)
     
  • OURO

    1.784,50
    +0,60 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    48.577,99
    -759,14 (-1,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.250,03
    -191,73 (-13,30%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,72 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.477,95
    -288,74 (-1,21%)
     
  • NIKKEI

    27.927,37
    -102,20 (-0,36%)
     
  • NASDAQ

    15.758,25
    +40,50 (+0,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3786
    -0,0167 (-0,26%)
     

Fotos do Hubble mostram nebulosas iluminadas por jatos de jovens estrelas

·2 min de leitura

O Telescópio Espacial Hubble observou nuvens de gás e poeira brilhantes na Nebulosa da Chama — localizada na constelação de Órion — e no complexo de nebulosas The Running Man, a aproximadamente 1.400 anos-luz de distância da Terra. Conhecidas como objetos de Herbig-Haro, tratam-se de nebulosas que ganham um intenso brilho ao serem bombardeadas pelo gás aquecido que é ejetado a uma altíssima velocidade por uma estrela recém-nascida próxima.

A Nebulosa da Chama, descoberta em 1786 pelor astrônomo William Herschel, está localizada no chamado Complexo de Nuvem Molecular de Órion, uma das regiões mais ativas de formação estelar próxima à Terra, onde se encontram também as famosas Nebulosas da Cabeça de Cavalo e de Órion.

A imagem revela parte da Nebulosa da Chama, um região de formação estelar na constelação de Órion (Imagem: Reprodução/NASA/ESA/JPL)
A imagem revela parte da Nebulosa da Chama, um região de formação estelar na constelação de Órion (Imagem: Reprodução/NASA/ESA/JPL)

Com 12 anos-luz de extensão, a NGC 2024 e Sh2-277 — como também é conhecida a Nebulosa da Chama — é uma nebulosa de emissão, uma nuvem de gás ionizado pela radiação das estrelas em seu interior.

O Hubble também observou três “globuletas” na Nebulosa da Chama, isto é, pequenas nuvens de poeira escura observadas ao fundo das nuvens brilhantes. Acredita-se que elas possam dar origem a anãs marrons, corpos quentes que são grandes demais para serem planetas, mas com pouca massa para serem estrelas — e, por isso, muitas vezes são chamados de "estrelas fracassadas".

Nebulosa do Homem Correndo

Quando uma estrela recém-nascida ejeta um gás quente a centenas de quilômetros por segundo e ele colide com a nuvem de gás e poeira ao redor, formam-se ondas de choque brilhantes. O azul, na imagem, abaixo representa o oxigênio ionizado por este processo e, o roxo, o magnésio ionizado.

O complexo Running Man fica próximo à Nebulosa de Órion (Imagem: Reprodução/NASA/ESA/DSS)
O complexo Running Man fica próximo à Nebulosa de Órion (Imagem: Reprodução/NASA/ESA/DSS)

A região faz parte da nebulosa NGC 1977, que integra um complexo formado por mais outras duas nebulosas — NGC 1975 e NGC 1973 —, chamado Nebulosa Running Man (ou “Homem Correndo”, em tradução literal). É uma nebulosa de reflexão, ou seja, ela não possui luz própria, mas reflete o brilho das estrelas próximas como uma névoa iluminada por um poste.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos