Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.040,56
    +998,09 (+0,94%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.318,79
    +413,73 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    43,08
    +0,66 (+1,56%)
     
  • OURO

    1.834,90
    -37,50 (-2,00%)
     
  • BTC-USD

    18.333,31
    -121,44 (-0,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    362,49
    +1,06 (+0,29%)
     
  • S&P500

    3.567,82
    +10,28 (+0,29%)
     
  • DOW JONES

    29.510,24
    +246,76 (+0,84%)
     
  • FTSE

    6.333,84
    -17,61 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    26.486,20
    +34,66 (+0,13%)
     
  • NIKKEI

    25.527,37
    -106,93 (-0,42%)
     
  • NASDAQ

    11.874,75
    -31,00 (-0,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4416
    +0,0617 (+0,97%)
     

FOTOS E VÍDEOS: O apagão que já dura 3 dias no Amapá

Redação Notícias
·4 minuto de leitura
Macapá em total escuridão durante a madrugada. (Foto: Rede Amazônica - Afiliada TV Globo/Reprodução)
Macapá em total escuridão durante a madrugada. (Foto: Rede Amazônica - Afiliada TV Globo/Reprodução)

O blecaute que atinge o Amapá desde a noite de terça-feira (3) tem causado diversos prejuízos para a população. Estima-se que 14 cidades das 16 existentes ao todo no estado tenham sido afetadas de alguma maneira pelo apagão.

Confira fotos e vídeos da situação no estado, que já entra no 4º dia sem energia elétrica desde que um incêndio atingiu uma subestação operada pela empresa privada LMTE em Macapá. O Estado do Amapá tem cerca de 860 mil habitantes, segundo projeção do IBGE para 2020. Segundo o Ministério de Minas e Energia, 85% dessa população foi afetada pelo apagão, ou seja, cerca de 730 mil pessoas.

Incêndio atingiu subestação de energia após forte tempestade. (Foto: Rede Amazônica - Afiliada TV Globo/Reprodução)
Incêndio atingiu subestação de energia após forte tempestade. (Foto: Rede Amazônica - Afiliada TV Globo/Reprodução)

Os habitantes fazem fila para comprar alimentos não-perecíveis ou gelo para evitar que outros alimentos estraguem, não conseguem realizar saques de dinheiro em espécie e também não são possíveis pagamentos via cartões de crédito ou débito. As redes de telecomunicações também apresentaram instabilidade ao longo dos dias.

Redes de telecomunicações sofreram interrupções ao longo do dia. (Foto: Rede Amazônica - Afiliada TV Globo/Reprodução)
Redes de telecomunicações sofreram interrupções ao longo do dia. (Foto: Rede Amazônica - Afiliada TV Globo/Reprodução)
Moradores do bairro Cidade Nova, em Macapá. (Foto: Rede Amazônica - Afiliada TV Globo/Reprodução)
Moradores do bairro Cidade Nova, em Macapá. (Foto: Rede Amazônica - Afiliada TV Globo/Reprodução)

Com o abastecimento de água encanada afetado, alguns tomam banho em rios. A situação levou a uma corrida da população ao aeroporto, a hotéis, supermercados, shoppings e estabelecimentos comerciais que ainda continuavam funcionando por terem geradores de energia.

População foi até o aeroporto de Macapá para recarregar aparelhos celulares e computadores. (Foto: Rede Amazônica - Afiliada TV Globo/Reprodução)
População foi até o aeroporto de Macapá para recarregar aparelhos celulares e computadores. (Foto: Rede Amazônica - Afiliada TV Globo/Reprodução)
População se socorreu em hotéis durante apagão. (Foto: Rede Amazônica - Afiliada TV Globo/Reprodução)
População se socorreu em hotéis durante apagão. (Foto: Rede Amazônica - Afiliada TV Globo/Reprodução)
Hotéis de Macapá lotaram durante apagão no Amapá. (Foto: Rede Amazônica - Afiliada TV Globo/Reprodução)
Hotéis de Macapá lotaram durante apagão no Amapá. (Foto: Rede Amazônica - Afiliada TV Globo/Reprodução)

O problema gerou também transtornos e prejuízos em hospitais. Desde a madrugada de quarta, o Hospital das Clínicas e o Hospital de Emergências (HE) operam a base de geradores. No caso do HE, principal pronto-socorro da capital, as cirurgias tiveram que ser interrompidas.

Semáforos desligados em todo o estado por falta de energia. (Foto: Rede Amazônica - Afiliada TV Globo/Reprodução)
Semáforos desligados em todo o estado por falta de energia. (Foto: Rede Amazônica - Afiliada TV Globo/Reprodução)

Além disso, o estado tem registrado nos últimos dias aumento no número de casos de coronavírus nas últimas semanas e na taxa de ocupação de leitos da rede pública. O governo do presidente Jair Bolsonaro estima que a carga de energia no Amapá deverá estar 100% restabelecida em até dez dias, disse nesta sexta-feira o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque