Mercado fechará em 4 h 19 min
  • BOVESPA

    130.876,85
    +1.435,82 (+1,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.265,73
    -20,73 (-0,04%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,46
    +0,55 (+0,78%)
     
  • OURO

    1.866,10
    -13,50 (-0,72%)
     
  • BTC-USD

    40.601,94
    +4.624,48 (+12,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.008,74
    +39,90 (+4,12%)
     
  • S&P500

    4.236,47
    -10,97 (-0,26%)
     
  • DOW JONES

    34.261,90
    -217,70 (-0,63%)
     
  • FTSE

    7.157,56
    +23,50 (+0,33%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    29.161,80
    +213,07 (+0,74%)
     
  • NASDAQ

    14.035,75
    +41,50 (+0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1385
    -0,0541 (-0,87%)
     

Fotografia de queijo na web ajuda a polícia britânica a prender traficante

·2 minuto de leitura

Mesmo quando tomamos o maior cuidado possível, o conteúdo que publicamos nas redes sociais pode revelar muito sobre nossa vida e hábitos pessoais. Foi o que descobriu da pior maneira possível Carl Stewart, preso pela polícia de Merseyside e sentenciado a 13 anos e seis meses de prisão após publicar uma fotografia de sua mão segurando um pedaço de queijo na plataforma EncroChat.

Fechado em junho de 2020 pela polícia europeia, o serviço era conhecido por ter 90% de sua base de usuários formada por criminosos. Stewart, identificado por lá como “Tofeeforce”, usava o sistema de chats para vender largas quantidades de drogas de classe A e B e, embora tenha protegido seus dados, foi traído pela foto em questão, que revelou às autoridades polícias suas impressões digitais, que serviram como base para sua prisão.

Imagem: Divulgação/Merseyside Police
Imagem: Divulgação/Merseyside Police

“Carl Stewart estava envolvido em fornecer grandes quantidades de drogas de Classe A e B, mas foi pego por seu amor por queijo Stilton depois de compartilhar uma foto de um bloco dele em sua mão através do EncroChat. Sua palma e impressões digitais foram analisados a partir da foto e foi estabelecido que pertenciam a Stewart”, afirmou a polícia de Merseyside em seu site oficial.

Procura por criminosos do EncroChat continua

Segundo a polícia, mais de 60 mil usuários do EncroChat já foram identificados ao redor do mundo, dez deles dentro do Reino Unido. Todos estavam envolvidos em crimes que vão do fornecimento e distribuição ilegal de armas e drogas à lavagem de dinheiro — e detalhes como aqueles vistos na foto de Stewart podem ser decisivos na realização de novas prisões.

Embora publicar uma foto de um queijo em uma rede social não signifique que você também vai passar 13 anos atrás das grades, a história serve como um alerta para ficarmos atentos aos conteúdos que publicamos. Em um momento no qual a engenharia social ganha força na realização de crimes digitais, as mesmas informações usadas pela polícia de Merseyside podem ser usadas por pessoas mal intencionadas.

Assim, tome cuidado ao publicar na internet qualquer conteúdo que possa revelar conversas pessoais, locais que você costuma frequentar e qual é a sua rotina. Como bem prova a história de Stewart, um pequeno detalhe pode contar uma história muito mais completa — e com resultados mais improváveis — do que costumamos imaginar.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: