Mercado fechado
  • BOVESPA

    123.455,21
    +939,47 (+0,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.640,59
    +771,11 (+1,52%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,65
    -0,61 (-0,86%)
     
  • OURO

    1.810,20
    -7,90 (-0,43%)
     
  • BTC-USD

    37.962,55
    -948,18 (-2,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    925,68
    -17,77 (-1,88%)
     
  • S&P500

    4.423,15
    +35,99 (+0,82%)
     
  • DOW JONES

    35.116,40
    +278,24 (+0,80%)
     
  • FTSE

    7.105,72
    +24,00 (+0,34%)
     
  • HANG SENG

    26.194,82
    -40,98 (-0,16%)
     
  • NIKKEI

    27.641,83
    -139,19 (-0,50%)
     
  • NASDAQ

    15.045,75
    +93,00 (+0,62%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1632
    +0,0191 (+0,31%)
     

Foto incrível: veja a Estação Espacial Internacional passando em frete ao Sol

·2 minuto de leitura

Durante a última sexta-feira (25), os astronautas Shane Kimbrough, da NASA, e Thomas Pesquet, da Agência Espacial Europeia, realizaram um spacewalk para instalar mais um painel solar na Estação Espacial Internacional (ISS). Enquanto eles trabalhavam na instalação do componente, o fotógrafo Joel Kowsky realizou um belo registro de um trânsito da ISS, enquanto ela passava em frente ao Sol.

A foto abaixo foi composta por sete frames e mostra a silhueta do laboratório orbital enquanto se movia à velocidade de quase 30 mil km/h. Atualmente, a estação conta com os membros da Expedição 65, composta pelos astronautas Megan McArthur, Mark Vande Hei e Shane Kimbrough, todos da NASA, junto de Thomas Pesquet, da ESA, Akihiko Hoshide, da agência espacial japonesa JAXA e, por fim, os cosmonautas Pyotr Dubrov e Oleg Novitskiy, da Roscosmos.

(Imagem: Reprodução/NASA/Joel Kowsky)
(Imagem: Reprodução/NASA/Joel Kowsky)

A silhueta na foto dá até a impressão de que a ISS estava próxima do Sol, mas, na verdade, isso é uma ilusão causada pela diferença de tamanho dos dois objetos e pela distância focal da lente: o Sol tem diâmetro de mais de 1 milhão de quilômetros, mas está a cerca de 150 milhões de quilômetros de distância da Terra — ou, se preferir, a cerca de 8 minutos-luz. Já a estação espacial mede cerca de 109 m de uma ponta à outra, e está a aproximadamente 400 km da superfície do nosso planeta.

O outro fator que pode alterar a percepção que temos com a foto é a distância focal, que afeta a profundidade de campo da imagem. Se a lente tiver distância focal maior para fotografar um objeto distante, isso faz com que a profundidade de campo fique menor — é daí que vem este efeito de “achatamento” que vimos acima, que dá a impressão de que a estação espacial está passando bem pertinho da nossa estrela.

Veja a animação abaixo com todos os frames, indicando o movimento da estação:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Aliás, isto tem nome: quando um objeto passa em frente a uma estrela a partir do nosso ponto de vista, dizemos que houve um trânsito. Esta é uma técnica bastante valiosa para os astrônomos encontrarem exoplanetas orbitando outras estrelas, porque como são grandes, estes mundos distantes causam uma redução no brilho das estrelas ao passar à frente delas. O telescópio espacial TESS (Transiting Exoplanet Survey Satellite), da NASA, vem empregando esta técnica desde 2018, e já encontrou mais de 2 mil candidatos a exoplanetas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos