Mercado fechado

Forza Horizon 5: Hot Wheels é um parque de diversões bem familiar

Forza Horizon 5, ainda que tenha uma jogabilidade que tenta ser apurada e até com seus ares de fidelidade, está longe de ser o mais realista dos jogos. O que acontece, então, quando juntamos uma marca reconhecida pelos seus designs malucos e pelas corridas de plástico em alta velocidade com um game que, desde o início, já começa nos lançando de aviões? Uma divertida e reconhecível adição.

É assim que dá para definir, em poucas palavras, o mundo de Hot Wheels, adicionado ao game em 19 de julho como uma expansão gratuita. Com o extra, a Playground Games nos leva para um mundo de loopings, nitros e pistas laranjas e azuis que tem suas próprias regras e desafios, ainda que se comporte mais ou menos como o festival que exploramos desde o fim do ano passado e, também remeta ao conteúdo semelhante lançado anos antes.

O parque Hot Wheels é um retorno em mais de um sentido. A nova campanha marca também a volta de um modo dedicado à série Forza Horizon, depois que o quarto game da série trouxe apenas carros da marca ao mundo real do evento de velocidade; aqui, eles também podem ser usados no México, enquanto os modelos reais também funcionam nas pistas de plástico, mas o game deixa claro que, quando cada coisa está em seu lugar, a experiência é a ideal.

Além disso, se trata de uma celebração das mais de cinco décadas da marca de brinquedos, com direito a alguns de seus modelos clássicos reproduzidos virtualmente e algumas maluquices como dragões e túneis de vento que surgem como se fizessem parte do cenário. E realmente fazem, com Forza Horizon 5: Hot Wheels nos lançando aos ares para uma experiência que não é necessariamente inovadora, mas expande o game de forma interessante.

Do gelo ao fogo em poucos segundos

<em>Os biomas de Forza Horizon 5 variam de forma ainda mais rápida na expansão de Hot Wheels, permitindo que o jogador percorra diferentes deles em uma única corrida (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)</em>
Os biomas de Forza Horizon 5 variam de forma ainda mais rápida na expansão de Hot Wheels, permitindo que o jogador percorra diferentes deles em uma única corrida (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

Isso se traduz em diferentes condições de aderência e formatos de pistas, com menos áreas abertas e foco ainda maior na velocidade. O game exclusivo da Microsoft já focava na variação dos biomas e, em um mundo de brinquedo, isso se torna ainda mais presente quando percebemos que as pistas podem começar sob a neve, passarem por cima de um vulcão e terminarem em meio ao vapor de cachoeiras tropicais.

Um dragão observa tudo do alto de uma montanha, enquanto o jogador utiliza diferentes veículos para caçar tesouro, detonar balões colecionáveis e cumprir diferentes provas de velocidade. O contador facilmente ultrapassa a marca dos 300 quilômetros por hora enquanto pilotamos veículos clássicos em pistas inclinadas, que modificam a forma de pilotar e trazem alguns desafios novos.

Jogar Forza Horizon 5: Hot Wheels com um bom volante, por exemplo, é uma experiência à parte, com tais elementos se traduzindo por meio do feedback de força dos acessórios. Estamos, sim, falando de um jogo focado no estilo arcade de pilotagem, com ainda menos realismo nessa expansão, mas dá para perceber um trabalho especializado feito especialmente para esse nicho de jogadores.

<em>Forza Horizon 5: Hot Wheels também é um pequeno passeio pela história da marca, ainda que suas décadas sejam muitas vezes resumidas a nomes complicados sendo ditos em sequência nas narrações das corridas(Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)</em>
Forza Horizon 5: Hot Wheels também é um pequeno passeio pela história da marca, ainda que suas décadas sejam muitas vezes resumidas a nomes complicados sendo ditos em sequência nas narrações das corridas(Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

Enquanto isso, tentamos controlar veículos off-road e muscle cars em pistas que variam bastante, ainda que tragam a marca característica de Hot Wheels. Até dá para usar os carros reais neste parque de diversões, mas a diversão e competitividade serão maiores com os veículos dedicados, uma vez que o jogo restringe bastante as opções disponíveis e, em meio a tantas ladeiras, loopings, quedas e elementos, veículos com motores mais fracos podem penar para andar em linha reta, quanto mais ganhar corridas.

O estilo diferente das pistas, que se sobrepõem em diferentes níveis e sempre simulam os tradicionais circuitos de Hot Wheels, também transforma a exploração do mundo e a torna bem mais objetiva. Enquanto os gráficos são belíssimos, principalmente no Xbox Series X, há menos o que fazer no caminho entre uma prova e outra, principalmente depois que o parque deixa de ser novidade.

Não é incomum se ver sendo obrigado a voltar por onde veio durante uma mudança de percurso, enquanto as poucas oportunidades de sair da pista entregam pouco além de uma certa dificuldade em retomar a rota caso você deseje explorar. Como os pontos de interesse ficam em níveis diferentes de altura, não existe aquela exploração que vimos em tantos games da franquia, fazendo com que, ao encontrar objetivos distantes demais, a viagem rápida acabe sendo uma opção mais interessante do que a direção.

Ainda soa estranho um interesse perceptível em explorar a história da marca e sua evolução ao longo dos anos, ainda que, muitas vezes, isso seja resumido a uma narração que fala nomes complicados sem parar durante as corridas, enquanto o jogador presta atenção em outra coisa. Claro, você vai ganhar carros clássicos dessa jornada e poderá dirigir com eles, mas para saber de onde eles vieram e como tudo começou, terá que se desdobrar em dois.

Vale a pena jogar Forza Horizon 5: Hot Wheels?

<em>Forza Horizon 5: Hot Wheels é gratuito e repete o clima de diversão da expansão do terceiro game da série, aliado a gráficos belos e uma jogabilidade que muda alguns conceitos, mas mantém as raízes do título principal (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)</em>
Forza Horizon 5: Hot Wheels é gratuito e repete o clima de diversão da expansão do terceiro game da série, aliado a gráficos belos e uma jogabilidade que muda alguns conceitos, mas mantém as raízes do título principal (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

A nova expansão do mundo de Forza Horizon 5 traz consigo a qualidade que aprendemos a esperar da Playground Games e mostra que a união com a marca Hot Wheels pode ser muito forte. É uma lembrança de tempos antigos, que não estão mais disponíveis, ao mesmo tempo em que inova pouco em um universo no qual nem sempre é necessário reinventar a roda.

É interessante ver como o foco em biomas e veículos off-road conversa bem com o mundo de brinquedos, enquanto a variação de percursos e provas ajuda a trazer novos elementos a um game já cheio de opções. São novos carros para liberar, corridas para competir e oportunidades de evolução de personagem e obtenção de itens. Tudo de graça, na melhor das notícias, tanto para quem tem o game quanto para os assinantes do Game Pass.

Diante disso, fica difícil não recomendar um passeio por uma expansão que torna um dos melhores games de corrida dos últimos anos ainda mais divertido e maluco. O encaixe entre mundos diferentes não é perfeito, mas quase, e se torna um bem-vindo retorno mesmo para quem já esteve nesse parque de diversões no terceiro game da série.

Forza Horizon 5: Hot Wheels está disponível para PC, Xbox One, Xbox Series X e Xbox Series S, de graça para todos que possuem o game diretamente ou por meio do Game Pass.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos