Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.683,55
    -126,65 (-0,28%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,18
    -0,09 (-0,17%)
     
  • OURO

    1.854,70
    -1,50 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    32.811,96
    +22,64 (+0,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    669,44
    +59,45 (+9,75%)
     
  • S&P500

    3.841,47
    -11,60 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    30.996,98
    -179,02 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.695,07
    -20,35 (-0,30%)
     
  • HANG SENG

    29.739,57
    +291,72 (+0,99%)
     
  • NIKKEI

    28.708,11
    +76,66 (+0,27%)
     
  • NASDAQ

    13.447,50
    +86,00 (+0,64%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6547
    +0,0027 (+0,04%)
     

Forte aceleração da pandemia na América Latina e África nesta semana

·2 minuto de leitura
Pessoas prestam homenagens a seus entes queridos falecidos no Dia de Finados no cemitério de Vila Formosa, o maior da América Latina, em São Paulo, 2 de novembro de 2020

A pandemia de coronavírus continua aumento no mundo nos últimos sete dias, principalmente na África e América Latina, segundo a base de dados coletada pela AFP.

Na última semana, foram registradas 652.423 casos diários (5% a mais que na semana anterior), segundo o balanço da AFP desta sexta-feira (18) às 08h00 de Brasília.

Foi na África onde a pandemia acelerou mais (+19%), seguida pela América Latina e Caribe (+11%) e Estados Unidos/Canadá (+8%).

No entanto, o número de casos reflete apenas uma parte do número real de contágios e as comparações entre países são delicadas, já que cada governo impõe uma política de testes distinta.

Na Europa, região que registrou mais novos casos nesta semana (245.948 novas infecções diárias), a epidemia ganhou força (+4%), depois de se estabilizar em um nível alto na semana anterior.

E embora o ritmo de contágios de covid-19 tenha crescido 77% na Oceania, o vírus circula muito pouco por lá (25 casos diários).

Já no Oriente Médio e na Ásia, continua se desacelerando (-16% e -11% respectivamente).

Em todo o mundo, a pandemia deixou ao menos 1,66 milhão de mortos desde o final de dezembro passado e cerca de 75 milhões de casos de covid-19 confirmados.

Em nível nacional, África do Sul é o país em que a epidemia mais se acelerou (+56%, 8.007 novos casos diários). É seguida pela Dinamarca (+52%, 3.334 casos), Espanha (+48%, 9.338 casos), Israel (+48%, 2.230 casos), Reino Unido (+42%, 22.982 casos) e República Tcheca (+ 42%, 5.582 casos).

Em contraste, a epidemia desacelerou fortemente no Irã (-30%, 7.930 novos casos diários), Geórgia (-28%, 3.202 casos), Iraque (-26%, 1.314 casos), Bulgária (-25%, 2.108 casos) e Jordânia (-24%, 2.384 casos).

Em números absoluto, Estados Unidos é de longe o país que registrou um maior número de novas infecções nesta semana, com 228.049 novos casos diários (+9%), à frente do Brasil (+12%).

Esses dois países também foram os que registraram mais mortes na semana passada, com uma média de 2.605 óbitos diários nos Estados Unidos e de 723 no Brasil. São seguidos pela Itália (656), México (594) e Rússia (553).

Estados Unidos continua sendo o país mais enlutado pela covid-19, com 310.792 mortes confirmadas; seguido pelo Brasil (184.827 mortes) e Índia (144.789).

ber/cds/blb/jvb/jz/aa