Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -634,97 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,16 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,99
    +0,08 (+0,11%)
     
  • OURO

    1.876,90
    -2,70 (-0,14%)
     
  • BTC-USD

    38.787,20
    +2.946,92 (+8,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,40 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,87 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    14.018,75
    +24,50 (+0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1934
    +0,0008 (+0,01%)
     

Fornecedores da Apple divulgam anúncios de emprego racistas na China

·1 minuto de leitura
Fornecedores da Apple divulgam anúncios de emprego racistas na China
Fornecedores da Apple divulgam anúncios de emprego racistas na China

Uma análise de diversos anúncios de emprego divulgados por fornecedores da Apple na China revelou que as empresas estão discriminando grupos étnicos minoritários chineses, embora tal discriminação seja ilegal sob a lei chinesa e configure uma violação das regras da própria Apple.

Segundo o The Information, as empresas também não permitem que mulheres com mais de 40 anos ou com cabelos tingidos e tatuagens participem dos processos seletivos.

Foxconn Shanghai Facility
A Foxconn foi uma das empresas que divulgou anúncio de emprego discriminatórios na China. Imagem: hapabapa/iStock

A denúncia inclui montadoras de uma série de dispositivos da empresa de Cupertino como a Foxconn Technology, além de fabricantes de placas de circuito, lentes para câmeras, baterias, cabos de dados, embalagens, dentre outros.

Enquanto negam emprego formal, o artigo também revela que algumas companhias como a Lens Technology, Luxshare e Suzhou Dongshan Precision Manufacturing, que fabricam vidros para o iPhone, AirPods e outros componentes, já foram acusadas no passado pelo uso de trabalho forçado.

Leia mais:

Muitos dos anúncios, segundo a publicação, foram colocados por agências de recrutamento terceirizadas. Em resposta, a empresa de Tim Cook disse que monitora os anúncios de emprego em busca de discriminação. Ao longo de 2021, a companhia declarou que já removeu 300 anúncios ilegais.

Acusação de trabalho forçado

Imagem mostra dois idosos da etnia uigure, uma minoria do noroeste chinês predominantemente muçulmana e alvo de inúmeros preconceitos na sociedade. Fornecedores da Apple vêm usando o grupo para trabalho forçado
Dois idosos uigures, representantes da minoria chinesa de origem turcomena alvo de preconceito no país asiático. Imagem: Sirio Carnevalino/Shutterstock

Alguns fornecedores da Apple estão sob acusação de trabalho forçado na confecção de componentes. A informação foi divulgada pelo The Information, que entrevistou diretores de organizações de combate ao trabalho escravo na China.

Segundo as entidades, empresas como a Advanced-Connectek, que vem trabalhando na criação de componentes para a Apple nos últimos 20 anos, se valem de programas sociais do governo para oferecer condições subumanas de trabalho.

A Advanced-Connectek, conforme a reportagem, também atende outras gigantes como a Amazon, Google, Microsoft e Facebook.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!