Fornecedora francesa anuncia que tomará medidas legais contra empresa romena

Paris, 9 fev (EFE).- A fornecedora francesa de carnes Spanghero anunciou neste sábado que tomará as medidas legais possíveis contra a empresa romena que teria vendido carne de cavalo ao invés de bovina, para a produção de alimentos prontos congelados da marca sueca Findus.

O presidente da Spanghero, Barthélémy Aguerre, garantiu que, se for confirmado que a carne era de cavalo, a empresa se considerará "vítima", acrescentando: "Consideraríamos que nos enganaram e os denunciaríamos".

"Se nos enganaram, foi o fornecedor romeno, porque nós não compramos carne de cavalo, mas carne bovina, e entregamos carne bovina", explicou Barthélémy, em entrevista à emissora de rádio "France Info".

O diretor da empresa, que fatura 65 milhões de euro anuais e oficialmente processa 9.600 toneladas de carne e 10.400 toneladas de pratos prontos, insistiu que não trabalham com cavalo. "Somos produtores de carne bovina, de cordeiro e de porco", afirmou.

Neste sábado, a emissora de rádio "France Info" informou que a Spanghero, reconheceu trabalhar com um matadouro da Romênia onde se sacrificam bovinos e cavalos. O grupo é fornecedor indireto do gigante dos congelados Findus.Os serviços antifraude franceses anunciaram ontem a abertura de uma investigação e o ministro da Agricultura, Stéphane Le Foll, considerou que "é inaceitável" o "engano" sobre a composição dos pratos da Findus e afirmou que serão aplicadas "as punições necessárias".

Seguindo a linha do que havia feito no Reino Unido horas antes, a Findus divulgou ontem à tarde que estava suspendendo na França a venda de três de seus pratos preparados, pela presença de carne de cavalo em lugar do bovino indicado nos rótulos, e que estava retirando os lotes que havia distribuído às lojas. EFE

Carregando...