Mercado fechado

Formação Bruta de Capital Fixo recua 3,3% no 4º trimestre ante o 3º

Thais Carrança, Bruno Villas Bôas e Alessandra Saraiva

Com isso, medida de quanto se investe em máquinas e equipamentos, na construção civil e em pesquisa acumulou crescimento de apenas 2,2% no ano A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) — medida das contas nacionais do quanto se investe em máquinas e equipamentos, na construção civil e em pesquisa — recuou 3,3% no quarto trimestre de 2019, na comparação ao terceiro, com ajuste sazonal.

A mediana das projeções de consultorias e instituições financeiras ouvidas pelo Valor Data apontava para queda de 1,9% dos investimentos no quarto trimestre, frente ao terceiro.

Economia brasileira cresce 1,1% em 2019, aponta IBGE

Indústria cresce 0,2% no 4º tri e 0,5% no ano, mas extrativa tem pior resultado desde 2016

Consumo das famílias sobe 0,5% no 4º trimestre, abaixo das projeções

Dados divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram ainda que a Formação Bruta de Capital Fixo caiu 0,4% na comparação ao quarto trimestre de 2018, contra uma expectativa de crescimento de 1,8% na mediana das projeções.

Dessa forma, os investimentos acumularam crescimento de 2,2% em 2019.

O IBGE informou ainda que os investimentos cresceram 1,3% no terceiro trimestre, frente ao segundo trimestre, dado revisado de uma alta de 2% anteriormente divulgada.