Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    50.677,79
    +3.201,48 (+6,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,50 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

Ford afirma que negocia plano de demissão com funcionários 'dentro de um orçamento limitado'

FERNANDA BRIGATTI
·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* TAUBATÉ, 12.01.2021 - Fábrica e logo da Ford em Taubaté (SP). (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)
*ARQUIVO* TAUBATÉ, 12.01.2021 - Fábrica e logo da Ford em Taubaté (SP). (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Ford encaminhou aos funcionários da fábrica de Taubaté (SP) nesta terça-feira (9) um comunicado no qual diz que continuará negociando um plano de demissão com o Sindicato dos Metalúrgicos e afirma ter sido notificada da decisão que proibiu dispensas em massa.

Na sexta (5), duas liminares determinaram a suspensão de demissões em Camaçari, na Bahia, e na fábrica de motores e transmissões no interior de São Paulo. O fechamento das plantas foi anunciado pela montadora norte-americana no dia 11 de janeiro.

No comunicado a que a Folha teve acesso, a empresa diz que "os entendimentos na busca de um acordo seguem avançando independentemente da liminar" e que acredita na construção bilateral de um programa de demissão "dentro de um orçamento limitado".

Os trabalhadores rejeitaram na semana passada a proposta de indenização de 1,1 salário por ano de trabalho para os funcionários horistas, e de 0,7 salário para os mensalistas.

O Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté tinha a expectativa de participar, na segunda (8) à tarde, de uma reunião por videoconferência com diretores globais da empresa, mas a conversa foi cancelada horas antes.

Os representantes sindicais que participariam da reunião foram informados de que as negociações do plano de demissão serão tocadas pelos diretores da empresa no Brasil -é também o que consta no comunicado encaminhado pela empresa aos funcionários.

A empresa informou que começará, nesta quarta (10), a convocar funcionários para o retorno escalonado ao trabalho. A necessidade de retomar a produção para garantir a disponibilidade de estoque de pós-venda já tinha sido prevista pela empresa quando do anúncio do fechamento das fábricas.

Também nesta quarta, os metalúrgicos realizam assembleia para definir os detalhes de uma carreata marcada para o dia 12. A programação prevê concentração a partir de 7h e saída às 8h. Uma nova reunião com a Ford também é prevista pelos sindicalistas ainda nesta semana.

Conforme antecipou a coluna Painel S.A., a Ford assinou acordo com o Procon-SP para garantir o fornecimento de peças de reposição e assistência técnica.

Em nota, a montadora confirmou que está convocando os empregados de Taubaté e Camaçari para o trabalho, e que mantém as negociações.

"A empresa informa que as liminares recentemente deferidas não criam nenhum entrave para que isso possa ser feito."