Mercado fechado

Espaço vazio no universo pode estar produzindo ‘energia escura’

Força estranha: espaço vazio no universo pode estar produzindo ‘energia escura’ (Foto: Getty Images)
Força estranha: espaço vazio no universo pode estar produzindo ‘energia escura’ (Foto: Getty Images)
  • Até agora, esses vazios cósmicos eram conceituados como nuvens gigantes de gás;

  • Essas vacâncias cósmicas podem ser a fonte de energia escura;

  • E é essa energia que poderia fazer com que o universo se expandisse cada vez mais rápido.

O espaço ainda é cercado de mistérios e perguntas não respondidas. No entanto, os cientistas que estudam os vazios escuros no universo revelaram que esses ambientes podem produzir ‘energia escura’.

Muitas pessoas costumam se referir a esses vazios como 'buracos' no espaço e afirmam que eles são um exemplo de espaço verdadeiramente vazio sem estrelas, galáxias, plasma, gás, poeira ou buracos negros. Cientificamente, porém, isso não é verdade. Até agora a comunidade cientifica destacou que esses vazios cósmicos são tipicamente nuvens gigantes de gás.

No entanto, de acordo com um novo artigo destacado pela Live Science, que está prestes a ser publicado no Monthly Notices of the Royal Astronomical Society Journal, essas vacâncias cósmicas podem ser a fonte de energia escura. E é essa energia que os cientistas dizem que poderia fazer com que o universo se expandisse cada vez mais rápido.

A força misteriosa que faz o universo agir assim é algo que intriga os astrofísicos há anos. Paul Sutter, astrofísico da SUNY Stony Brook University e do Flatiron Institute em Nova York, explica o que essa nova pesquisa significa para a Live Science.

“O que as vagas têm a ver com energia vazia? Por um lado, os efeitos da expansão acelerada não são sentidos dentro de sistemas estelares ou galáxias; lá, a atração gravitacional da matéria é tão grande que, por exemplo, nem nosso próprio sistema solar nem a Via Láctea estão ficando maiores por causa da energia escura. Mas como os vazios estão quase completamente vazios, eles podem mascarar os efeitos da energia escura”, explicou Sutter.

Enquanto a matéria estava espalhada de maneira bastante uniforme no espaço bilhões de anos atrás, lugares que eram um pouco maiores começaram a atrair mais matéria. Isso continuou até que a matéria acumulada formou galáxias, aglomerados e aglomerados.

“À medida que as vacâncias crescem, as paredes das galáxias entre elas se afinam continuamente e eventualmente se dissolvem, fazendo com que as vacâncias se fundam. Nos próximos bilhões de anos, os vazios romperão a teia cósmica, deixando toda a matéria isolada pelo vazio a centenas de milhões de anos-luz de distância”, concluiu Sutter.