Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,33 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,59 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,56
    +0,58 (+0,78%)
     
  • OURO

    1.749,70
    -2,00 (-0,11%)
     
  • BTC-USD

    43.465,19
    +688,62 (+1,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,20 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,84 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.309,00
    -9,75 (-0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2559
    +0,0309 (+0,50%)
     

Fora do cinema: filmes sobre o caso Richthofen serão lançados no Prime Video

·2 minuto de leitura

Dois dos filmes mais aguardados pelo público brasileiro enfim ganharam sua data de lançamento, mas infelizmente não nos cinemas: A Menina Que Matou os Pais e O Menino Que Matou Meus Pais, obras de Mauricio Eça sobre o caso Suzane von Richthofen, serão distribuídos exclusivamente pelo Amazon Prime Video. O anúncio foi feito em comunicado à imprensa e também confirmou que ambos longas chegarão ao público em 24 de setembro.

(Imagem: Divulgação / Galeria Distribuidora)
(Imagem: Divulgação / Galeria Distribuidora)

Já fazia um tempo que o projeto não ganhava notícias por conta da pandemia da COVID-19. Inicialmente planejados para chegar aos cinemas em 2020, A Menina Que Matou os Pais e O Menino Que Matou Meus Pais tiveram a estreia adiada algumas vezes. Em março, os longas ganharam um clipe exclusivo acompanhado de um cover da música Love Will Tear Us Apart, da banda Joy Division, mas não chegaram a ter um lançamento definido nas telonas.

A distribuição pelo Prime Video tem boas e más notícias para o público: a vantagem é que A Menina Que Matou os Pais e O Menino Que Matou Meus Pais agora terão um alcance global e esperançosamente alcançarão fãs de diversos outros países, valorizando ainda mais o cinema nacional. A desvantagem, no entanto, é que ambos filmes contariam com uma experiência única de exibição nos cinemas brasileiros, lançados de forma simultânea, porém exibidos em sequência nas telonas.

(Imagem: Divulgação / Galeria Distribuidora)
(Imagem: Divulgação / Galeria Distribuidora)

O filme

Apesar de relatar de perto os detalhes do crime que chocou o Brasil, os filmes não defenderão os atos de Suzane Von Richthofen. Ao Adorocinema, o diretor Maurício Eça esclareceu que nenhum dos envolvidos está ganhando dinheiro com a produção. "O filme todo é baseado num processo penal, então não estamos contando algo que já não foi divulgado. Eles são réus confessos. Os filmes não têm pretensão nem de julgar, nem defendê-los. Eles estão pagando pelo crime que fizeram. A gente quer contar da maneira mais responsável possível, com todo o respeito, pois sabemos bem da gravidade de tudo o que aconteceu", declarou.

(Imagem: Divulgação / Galeria Distribuidora)
(Imagem: Divulgação / Galeria Distribuidora)

A Menina Que Matou os Pais e O Menino Que Matou Meus Pais têm aproximadamente 80 minutos de duração e contarão com uma óptica diferente do casal Suzane von Richthofen e Daniel Cravinhos, com roteiros de Ilana Casoy e Raphael Montes baseados nos depoimentos de cada um. A história se passa em 2002, ano do crime cometido em São Paulo. O assassinato de Manfred e Marísia teve o pontapé dado pela própria filha, Suzane, e o namorado Daniel, que agiram em conjunto com Christian Cravinhos. Os longas-metragem acompanharão o julgamento do ex-casal a partir de dois diferentes pontos de vista, quase 20 anos após o ocorrido.

Os longas são estrelados por Carla Diaz, Leonardo Bittencourt, Allan Souza Lima, Kauan Ceglio, Leonardo Medeiros, Vera Zimmermann, Augusto Madeira, Debora Duboc, Marcelo Várzea, Fernanda Viacava, Gabi Lopes e Taiguara Nazareth.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos