Mercado fechado
  • BOVESPA

    99.621,58
    -969,83 (-0,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.061,61
    -373,84 (-0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,40
    -0,38 (-0,35%)
     
  • OURO

    1.821,20
    +3,70 (+0,20%)
     
  • BTC-USD

    20.045,51
    -208,32 (-1,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    430,78
    -8,88 (-2,02%)
     
  • S&P500

    3.818,83
    -2,72 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    31.029,31
    +82,32 (+0,27%)
     
  • FTSE

    7.312,32
    -11,09 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    21.996,89
    -422,08 (-1,88%)
     
  • NIKKEI

    26.691,55
    -113,05 (-0,42%)
     
  • NASDAQ

    11.675,75
    -15,25 (-0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4302
    +0,0196 (+0,36%)
     

Força Espacial dos EUA contrata ULA e SpaceX para lançar satélites militares

A Força Espacial dos EUA contratou a United Launch Alliance (ULA) e a SpaceX para lançar satélites militares nos próximos dois anos. A ULA realizará cinco destas missões e a empresa de Elon Musk lançará três. Ao todo, o contrato de oito lançamentos foi avaliado em US$ 846 milhões.

O novo acordo garante novas missões de Lançamento Espacial de Segurança Nacional dos EUA (NSSL), detalhadas na Fase 2 dos contratos de serviço de lançamento, aprovados pelo Pentágono em 2020. A SpaceX e a ULA venceram as propostas da Blue Origin e Northrop Grumman.

AULA acumula 60% das missões NSSL, recebendo US$ 566 milhões para realizá-las, a SpaceX ficou com 40% das missões, ganhando cerca de US$ 280 milhões. A ULA usará seu foguete de próxima geração Vulcan Centaur, enquanto a SpaceX usará o Falcon 9.

Os contratos fazem parte do esforço do Pentágono de reintroduzir a concorrência nas aquisições de lançamentos militares. A ULA foi a única empresa capaz de lançar grandes satélites de segurança nacional por mais de 10 anos antes de a SpaceX ser certificada pela Força Aérea.

Nos próximos dois anos, a ULA realizará as cinco missões a seguir:

  • Um lançamento com o Vulcan Centaur a partir do Cabo Canaveral, na Flórida, para implantar um satélite de navegação GPS 3-7 na órbita média da Terra (MEO);

  • Três lançamentos (nomeados USSF-16, USSF-23 e USSF-43) com o Vulcan Centaur a partir do Cabo Canaveral, na Flórida, para transporte de cargas;

  • Um lançamento com o Vulcan Centaur a partir do Cabo Canaveral, na Flórida, para implantação do satélite de comunicações Wideband Global SATCOM 11 em uma órbita geossíncrona.

Já a SpaceX, realizará as três missões seguintes:

  • Um lançamento do Falcon 9 a partir de Cabo Canaveral, na Flórida, com a missão USSF-124 que colocará em órbita baixa terrestre (LEO) cargas úteis para a Agência de Defesa de Mísseis;

  • Um lançamento do Falcon 9 a partir da Base da Força Espacial em Vandenberg, na Califórnia, com a missão USSF-62 que implantará o primeiro satélite de monitoramento meteorológico em uma órbita polar;

  • Um lançamento do Falcon 9 a partir da Base da Força Espacial em Vandenberg, na Califórnia, para implantar satélites da constelação Tranche 1, da Agência de Desenvolvimento Espacial dos EUA, em uma órbita polar.

A SpaceX já realizou 157 lançamentos com seus foguetes Falcon 9, mas o Vulcan Centaur da ULA ainda está a pelo menos seis meses de realizar seu primeiro teste de voo. O Vulcan está sendo desenvolvido para substituir as famílias de lançadores Atlas e Delta da ULA, que devem ser aposentadas.

O coronel Chad Melone, chefe da divisão de aquisição e integração de lançamento do Comando de Sistemas Espaciais, acrescentou que: “ULA e SpaceX têm sistemas de lançamento altamente capazes e temos plena confiança de que eles atenderão às nossas necessidades para as oito missões que encomendamos”.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos