Mercado abrirá em 6 h 30 min
  • BOVESPA

    129.513,62
    +1.085,64 (+0,85%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.558,32
    +387,54 (+0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,42
    +0,12 (+0,16%)
     
  • OURO

    1.777,50
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    34.380,76
    +1.537,34 (+4,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    828,25
    +41,63 (+5,29%)
     
  • S&P500

    4.266,49
    +24,65 (+0,58%)
     
  • DOW JONES

    34.196,82
    +322,58 (+0,95%)
     
  • FTSE

    7.109,97
    +35,91 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    29.276,91
    +394,45 (+1,37%)
     
  • NIKKEI

    29.066,18
    +190,95 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    14.356,25
    +2,00 (+0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,8674
    +0,0051 (+0,09%)
     

Força Aérea americana lança programa de entrega de carga por foguetes e espaçonaves

·2 minuto de leitura
Força Aérea americana lança programa de entrega de carga por foguetes e espaçonaves
Força Aérea americana lança programa de entrega de carga por foguetes e espaçonaves

A Força Aérea americana lançou, junto com a Força Espacial (Space Force), o programa “Rocket Cargo”, para entrega de carga por foguetes e espaçonaves, inspirado nas licitações feitas pela Nasa para empresas privadas para a construção de equipamentos para a agência espacial.

A ideia do novo programa é viabilizar o uso de embarcações espaciais comerciais para acelerar a entrega de cargas super pesadas – de 100 toneladas para cima – a pontos remotos da Terra, zonas de conflito ou de crise humanitária. Segundo especialistas, hoje, esse processo leva dias, mas com o programa, isso poderia ser reduzido a meras horas.

Leia também

Uso de foguetes pode ser feito pela força aérea americana na entrega de cargas

Na imagem: lançamento de um foguete Falcon 9, da SpaceX
Os foguetes e embarcações espaciais privadas podem ser usados pela Força Aérea americana na entrega de cargas a zonas remotas na Terra. Imagem: Nadezda Murmakova/Shutterstock

“Uma vez finalizado, o Rocket Cargo vai alterar fundamentalmente o cenário de logísticas rápidas, conectando materiais e equipamentos a forças conjuntas de combate em uma fração do tempo gasto hoje”, disse John “Jay” Raymond, Chefe de Operações Espaciais da Space Force, em um comunicado. “Na ocasião de um conflito ou crise humanitária, a Força Espacial será capaz de oferecer à nossa liderança nacional uma opção independente para atingir objetivos estratégicos do espaço”.

O comunicado não cita nominalmente nenhuma empresa que atualmente trabalhe no setor, mas menções à SpaceX como exemplo de que tipo de companhia atenderia ao programa foram feitas de forma pulverizada. Mais além, a Space Force mencionou que as “empresas que procuram oportunidades na Lua” sob o Serviço de Entrega de Carga Lunar (da sigla em inglês, “CLPS”) da Nasa poderiam ser consideradas.

De acordo com o site da Nasa, 14 empresas participam do programa. São elas: Astrobotic Technology, Blue Origin, Ceres Robotics, Deep Space Systems, Draper, Firefly Aerospace, Intuitive Machines, Lockheed Martin Space, Masten Space Systems, Moon Express, Orbit Beyond, Sierra Nevada Corporation, Tyvak Nano-Satellite Systems – além, claro, da própria SpaceX de Elon Musk.

Ainda em sua fase de conceitualização e estudo, o programa Rocket Cargo da Força Aérea e Força Espacial ainda não tem data para começar a operar – a julgar pelo volume de informações necessárias para a sua viabilidade, isso deve demorar a acontecer.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos