Mercado fechará em 5 h 12 min
  • BOVESPA

    122.941,69
    +1.140,48 (+0,94%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.278,51
    +83,08 (+0,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,34
    +0,19 (+0,28%)
     
  • OURO

    1.804,40
    -10,10 (-0,56%)
     
  • BTC-USD

    38.709,98
    -387,15 (-0,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    970,97
    -4,92 (-0,50%)
     
  • S&P500

    4.419,08
    +16,42 (+0,37%)
     
  • DOW JONES

    34.983,27
    +190,60 (+0,55%)
     
  • FTSE

    7.111,62
    -12,24 (-0,17%)
     
  • HANG SENG

    26.204,69
    -221,86 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.120,50
    +47,00 (+0,31%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0822
    -0,0361 (-0,59%)
     

Fontes hidrotermais podem liberar carbono nos oceanos, indica estudo

·1 minuto de leitura
Fontes hidrotermais podem liberar carbono nos oceanos, indica estudo
Fontes hidrotermais podem liberar carbono nos oceanos, indica estudo

Os oceanos desempenham um papel crucial para o ciclo do carbono na Terra. Conforme a água do mar se move, por exemplo, ela pode armazenar e transportar moléculas de carbono em abundância.

No entanto, duas questões permanecem: quais são as fontes e o destino desse carbono orgânico dissolvido (‘dissolved organic carbon‘ ou DOC) nos mares? Segundo os especialistas, ainda há muito a aprender sobre essa dinâmica complexa.

A datação por radiocarbono de amostras de água do mar dá suporte para uma hipótese, a de que as fontes hidrotermais podem ser uma fonte de carbono orgânico nos oceanos. A princípio, era dito que os organismos que vivem nas águas superficiais produziam a maior parte do DOC marinho.

Para encontrar respostas, pesquisadores coletaram mais amostras de vários locais. O caminho então seguiu até uma área de alta atividade hidrotérmica na costa oeste da América do Sul.

Leia mais:

A datação das amostras também permitiu construir um perfil da quantidade de carbono inorgânico dissolvido (‘dissolved inorganic carbon‘, ou DIC) para cada local estudado.

A análise do material revelou que ambas as formas de carbono envelhecem da mesma forma, e então são transportadas para o norte em águas profundas. Segundo os pesquisadores, o transporte ao norte é o principal fator que controla a composição das duas formas de carbono nos mares.

Enquanto isso, os dados específicos sobre as fontes hidrotermais indicam que elas também podem contribuir com o carbono orgânico dos oceanos. Por fim, as descobertas ainda apontam que um tipo de micróbio (os quimiotróficos) pode “comer” e converter com sucesso o carbono inorgânico em orgânico.

Fonte: Phys.org

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos