Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.028,44
    +117,75 (+0,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

FMI vê risco crescente de fragmentação econômica e pede combate à inflação

Logo do Fundo Monetário Internacional na sede da instituição, em Washington

Por Andrea Shalal

WASHINGTON (Reuters) - O maior desafio que os banqueiros centrais enfrentam agora é reduzir a inflação, disse nesta quinta-feira a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional, Kristalina Georgieva, enquanto sua vice alertou para o risco crescente de fragmentação econômica.

Georgieva disse em uma conferência em Washington que as autoridades monetárias deveriam adotar medidas específicas para aliviar o aumento dos preços de alimentos e combustíveis e ao mesmo tempo evitar medidas que possam alimentar a inflação ou desviar a política monetária.

Gita Gopinath, primeira vice-diretora-gerente, falando na mesma conferência, afirmou que o fortalecimento do dólar, agora em seu nível mais alto em mais de 20 anos, e as preocupações com a fragilidade financeira também representavam grandes desafios no ambiente atual, e não há espaço para erros.

"Há realmente um caminho muito estreito para acertar as coisas", disse Gopinath, observando que a forte alta do dólar teve importantes implicações macroeconômicas para uma série de países em todo o mundo.

Gopinath disse que as autoridades precisam estar atentas a possíveis vulnerabilidades, observando que existe uma falta crítica de dados sobre os riscos para a estabilidade financeira devido à alavancagem oculta em instituições financeiras não-bancárias.

Outro enorme desafio, disse Gopinath, é o risco crescente de fragmentação geoeconômica, observando que a pandemia da Covid-19 e a guerra na Ucrânia haviam "aumentado significativamente" os riscos.