Mercado abrirá em 6 h 22 min
  • BOVESPA

    114.177,55
    -92,52 (-0,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    55.164,01
    +292,65 (+0,53%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,39
    +0,38 (+0,47%)
     
  • OURO

    1.923,70
    -6,30 (-0,33%)
     
  • BTC-USD

    22.853,33
    -313,86 (-1,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    517,52
    -9,67 (-1,83%)
     
  • S&P500

    4.060,43
    +44,21 (+1,10%)
     
  • DOW JONES

    33.949,41
    +205,57 (+0,61%)
     
  • FTSE

    7.761,11
    +16,24 (+0,21%)
     
  • HANG SENG

    22.590,71
    +23,93 (+0,11%)
     
  • NIKKEI

    27.387,56
    +24,81 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    12.041,50
    -65,25 (-0,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5112
    -0,0085 (-0,15%)
     

FMI propõe enviar equipe ao Brasil para debater regra fiscal, diz Haddad após encontro com diretora-geral

***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 02.01.2023 - O ministro da Fazenda, Fernando Haddad. (Foto: Gabriela Biló/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 02.01.2023 - O ministro da Fazenda, Fernando Haddad. (Foto: Gabriela Biló/Folhapress)

DAVOS, SUÍÇA (FOLHAPRESS) - O ministro da Economia, Fernando Haddad, reuniu-se na tarde desta terça (17) com a diretora-geral do FMI (Fundo Monetário Internacional), Kristalina Georgieva, para falar dos planos do governo Lula na área fiscal.

"O FMI, sabendo do debate brasileiro sobre âncora fiscal, colocou uma equipe técnica à disposição do Brasil para que o Brasil conheça todas as regras hoje em vigor e a opinião deles sobre as que estão dando certo e as que não estão dando tão certo", disse Haddad em Davos, onde participa do encontro anual do Fórum Econômico Mundial.

A ideia, completou, é levar ao Congresso uma proposta que seja "mais crível e sustentável".

A Fazenda esperar apresentar o arcabouço fiscal em abril, e, até o fim do semestre, aprovar a reforma tributária.

O ministro também afirmou que o fundo frisou a importância da responsabilidade política e social do país, além da fiscal: "Unir responsabilidade fiscal com social é importante até para o FMI".

Questionado sobre eventuais receios de investidores estrangeiros, Haddad minimizou a preocupação com um estouro de gastos. "Nosso alvo é que as despesas e as receitas voltem para o patamar anterior à pandemia e anterior à eleição, em que receitas e despesas estavam muito próximas uma da outra", afirmou.

Ele repetiu ainda que os investidores estrangeiros têm grande interesse no país e que as agendas de ambiente e respeito à democracia ganharam relevância.

Além de Georgieva, Haddad se reuniu nesta terça com representantes dos governos de Arábia Saudita e Colômbia.