Mercado abrirá em 31 mins
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,03
    -1,36 (-3,64%)
     
  • OURO

    1.879,20
    0,00 (0,00%)
     
  • BTC-USD

    13.118,59
    -44,80 (-0,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    259,44
    -13,25 (-4,86%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.586,12
    +3,32 (+0,06%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.218,25
    +85,50 (+0,77%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7151
    -0,0193 (-0,29%)
     

FMI pede multiplicação de investimento público para acelerar reativação

·1 minuto de leitura
Segundo o Fundo, aumentar o investimento público em um valor equivalente a 1% do PIB em dois anos estimularia o crescimento em 2,7%, o investimento privado em 10% e o emprego em 1,2% em nível global, se forem investimentos "de alta qualidade"
Segundo o Fundo, aumentar o investimento público em um valor equivalente a 1% do PIB em dois anos estimularia o crescimento em 2,7%, o investimento privado em 10% e o emprego em 1,2% em nível global, se forem investimentos "de alta qualidade"

O Fundo Monetário Internacional (FMI) pediu aos países ricos, nesta segunda-feira (5), para aumentar o investimento público para acelerar a reativação da economia, afetada pela pandemia de coronavírus, deixando de lado sua tradicional preocupação com a dívida.

Os investimentos públicos têm "um papel central" na reativação econômica, considerou a organização, ao destacar que os países ricos deveriam se beneficiar dos custos historicamente baixos dos créditos para aumentar imediatamente seus gastos de manutenção de infraestruturas.

O mundo está em recessão, mas "estamos em uma situação inédita com custos de crédito muito baixos, infraestruturas debilitadas, até mesmo nas economias avançadas", e muitas pessoas em paralisação que precisam trabalhar, argumentou Paolo Mauro, um dos responsáveis do departamento de Assuntos Orçamentários do FMI.

"O investimento público pode oferecer esse apoio necessário para a atividade econômica e criação de emprego", acrescentou o economista ao apresentar um capítulo do relatório sobre vigilância orçamentária antes das reuniões de outono (H. Norte) do FMI.

Segundo o Fundo, aumentar o investimento público em um valor equivalente a 1% do PIB em dois anos estimularia o crescimento em 2,7%, o investimento privado em 10% e o emprego em 1,2% em nível global, se forem investimentos "de alta qualidade".

"Na Europa, isso criaria entre 2 e 3 milhões de empregos, nos Estados Unidos seriam quase dois milhões de empregos", destacou Mauro.

Segundo as estimativas do Fundo, entre dois e oito empregos são criados a cada milhão de dólares investido em infraestrutura tradicional, e entre cinco e 14 empregos novos são criados a cada milhão investido em pesquisa e desenvolvimento, energia sustentável ou prédio eficientes energeticamente.

Dt/lo/pcm/mr/lda/aa