Mercado abrirá em 4 h 47 min
  • BOVESPA

    122.515,74
    +714,95 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.869,48
    +1,16 (+0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,58
    +0,32 (+0,45%)
     
  • OURO

    1.812,10
    -10,10 (-0,55%)
     
  • BTC-USD

    38.476,35
    -1.468,38 (-3,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    934,71
    -26,18 (-2,72%)
     
  • S&P500

    4.387,16
    -8,10 (-0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.838,16
    -97,31 (-0,28%)
     
  • FTSE

    7.111,62
    +29,90 (+0,42%)
     
  • HANG SENG

    26.106,63
    -129,17 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    27.641,83
    -139,19 (-0,50%)
     
  • NASDAQ

    14.981,75
    +29,00 (+0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1192
    -0,0249 (-0,41%)
     

FMI eleva a 7% previsão para crescimento do PIB dos EUA em 2021

·1 minuto de leitura

WASHINGTON (Reuters) - O Fundo Monetário Internacional (FMI) elevou acentuadamente nesta quinta-feira sua projeção de crescimento para a economia dos Estados Unidos em 2021, para 7,0%, de uma previsão de 4,6% divulgada em abril, devido ao apoio fiscal e monetário sem precedentes.

O FMI, em sua avaliação anual do "Artigo IV" das políticas econômicas dos EUA, disse que a nova previsão representa o ritmo de crescimento mais rápido em uma geração para os Estados Unidos. O Fundo aumentou sua previsão de crescimento do PIB dos EUA em 2022 para 4,9%, acima do prognóstico anterior de 3,5%, divulgado em abril.

As novas previsões pressupõem que o Congresso dos EUA aprovará neste ano os planos de infraestrutura, gastos sociais e fiscais do governo Biden em tamanho e composição semelhantes aos de suas propostas originais, disse o FMI.

"Os indicadores sugerem que continua a haver uma significativa folga no mercado de trabalho, o que deve servir como uma válvula de escape para amortecer pressões subjacentes de salários e preços", disse o FMI em seu comunicado de revisão.

O Fundo acrescentou esperar que as expectativas de inflação dos EUA permaneçam bem ancoradas, mas estas "serão obscurecidas nos próximos meses por movimentos transitórios significativos nos preços relativos", o que poderia fazer com que a inflação das despesas de consumo pessoal (medida pelo índice PCE, o preferido do Fed) atingisse um pico temporariamente próximo de 4% ainda neste ano.

(Por David Lawder)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos