Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    33.816,71
    +1.315,17 (+4,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

FMI e Argentina avançam em negociação sobre dívida, mas não fecham acordo

·1 minuto de leitura
Ministro das Finanças da Argentina, Martín Guzmán

BUENOS AIRES (Reuters) - O Fundo Monetário Internacional (FMI) e o governo da Argentina afirmaram nesta terça-feira que conseguiram avançar nas negociações para a reestruturação de uma dívida de cerca de 45 bilhões de dólares em meio à crise econômica no país.

O ministro da Economia da Argentina, Martín Guzmán, reuniu-se na Itália com autoridades do FMI comandadas pela diretora-gerente, Kristalina Georgieva, durante reunião do G20. Apesar dos avanços, as partes ainda não chegaram a um acordo.

"As autoridades argentinas e o pessoal técnico do FMI mantiveram reuniões produtivas para avançar com o trabalho técnico na direção de um programa respaldado pelo FMI", disse o fundo em comunicado.

"Em particular, houve avanço na identificação de opções de política para desenvolver o mercado de capitais doméstico, mobilizar a arrecadação fiscal e fortalecer a resiliência externa da Argentina", completou.

A Argentina e o FMI estão negociando um acordo firmado em 2018 pelo ex-presidente Mauricio Macri, o maior na história do Fundo, mas que não conseguiu aplacar a crise no país, que segue lutando contra a dívida elevada, inflação alta e debilidade da moeda.

(Reportagem de Eliana Raszewski)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos