Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,26 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,77 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -0,21 (-0,23%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +3,40 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    24.356,30
    -147,24 (-0,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,35 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,22 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,68 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +2,25 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2020
    -0,1217 (-2,29%)
     

FMI aplaude 'esforços da Argentina' para 'sustentabilidade fiscal'

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, saudou os esforços "de sustentabilidade fiscal" da Argentina, um dos principais compromissos de Buenos Aires em seu acordo com o fundo, durante reunião em Washington com a ministra argentina da Economia, Silvina Batakis.

"Damos as boas-vindas aos seus esforços iniciais para fortalecer a sustentabilidade fiscal e concordamos com a importância da implementação firme do programa para enfrentar os desafios econômicos e sociais da Argentina", tuitou Georgieva após a reunião. O encontro, que a diretora descreveu como "produtivo", foi o primeiro presencial entre ambas, que já haviam conversado por telefone.

A ministra argentina, que defende "dar ordem e equilíbrio às finanças públicas", afirmou desde a sua nomeação, há algumas semanas, que pretende manter as metas acordadas com o FMI por seu antecessor, Martinho Guzmán.

A Argentina renegociou neste ano um acordo de 44,5 bilhões de dólares com o fundo, posteriormente ratificado pelo Congresso, no qual se compromete a reduzir o déficit fiscal de 3% do Produto Interno Bruto registrado em 2021 para 2,5% em 2022, 1,9% em 2023 e 0,9% em 2024.

Silvina também se reuniu com funcionários do Departamento do Tesouro, como o subsecretário de Relações Internacionais, Andy Baukol.

Terceira maior economia da América Latina, atrás do Brasil e do México, a Argentina fechou um acordo de facilidades estendidas, conhecido como SAF, para saldar os 44 bilhões de dólares desembolsados no âmbito de um crédito acordado em 2018 por 57 bilhões, o maior da história do FMI. O SAF permitiu ao país reprogramar sua dívida.

bur-erl/dga/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos