Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.715,69
    -85,52 (-0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.121,92
    -73,51 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    69,10
    +0,95 (+1,39%)
     
  • OURO

    1.807,00
    -7,50 (-0,41%)
     
  • BTC-USD

    40.886,82
    +1.150,23 (+2,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.006,80
    +30,90 (+3,17%)
     
  • S&P500

    4.429,10
    +26,44 (+0,60%)
     
  • DOW JONES

    35.063,66
    +270,99 (+0,78%)
     
  • FTSE

    7.120,43
    -3,43 (-0,05%)
     
  • HANG SENG

    26.204,69
    -221,86 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.154,50
    +81,00 (+0,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1709
    +0,0526 (+0,86%)
     

Fluxo de consumidores em lojas físicas cresce 77% em maio

·1 minuto de leitura
Os maiores aumentos de fluxo foram em lojas dos setores de “utilidades domésticas” e “moda”
Os maiores aumentos de fluxo foram em lojas dos setores de “utilidades domésticas” e “moda”

Um levantamento do Índice de Performance do Varejo (IPV) mostrou que o fluxo de consumidores nas lojas físicas registrou um crescimento de 77% em maio. Nos shoppings, esse aumento foi de 65,8%.

As lojas que ficam dentro de centros de compras registraram o dobro do fluxo com relação a abril, enquanto o crescimentos em lojas localizadas nas ruas foi de 42,1%.

Leia também:

O estudo, que foi organizado pela venture capital HiPartners Capital & Work em parceria com a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), também analisou os fluxos por região. O maior aumento foi no Sudeste, com 126,7%, seguido pelo Centro-Oeste, com 121,4%, pelo Sul, com 43,8%, pelo Nordeste, com 40,4%, e pelo Norte, com 22,1%.

O Sudeste também foi a região com maior aumento de fluxo nos shoppings centers, com 130,3% superior. No Sul, o aumento foi de 37% e, no Nordeste, 9,5%.

Na divisão por categorias, os maiores aumentos de fluxo foram em lojas dos setores de “utilidades domésticas” e “moda”, com 114,6% e 109,2%, respectivamente. Em seguida vêm beleza” (92,7%), “ótica” (73,9%), “calçados” (64,3%), “departamento” (62,8%), “home center” (9,1%) e “eletroeletrônicos” (5,7%). O único setor com recuo foi o de drogaria, com queda de 2,8%.

Na comparação com maio de 2020, quando grande parte do comércio estava com as portas fechadas, o crescimento foi significativo: 488,9% no fluxo de consumidores nos shopping centers e de 296,5% nas lojas físicas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos