Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.710,03
    -3.253,98 (-2,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.748,41
    -906,88 (-1,83%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,72
    +0,44 (+0,67%)
     
  • OURO

    1.815,90
    -20,20 (-1,10%)
     
  • BTC-USD

    54.537,95
    -2.194,38 (-3,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.472,80
    -91,03 (-5,82%)
     
  • S&P500

    4.063,04
    -89,06 (-2,14%)
     
  • DOW JONES

    33.587,66
    -681,50 (-1,99%)
     
  • FTSE

    7.004,63
    +56,64 (+0,82%)
     
  • HANG SENG

    28.231,04
    +217,23 (+0,78%)
     
  • NIKKEI

    28.147,51
    -461,08 (-1,61%)
     
  • NASDAQ

    12.965,25
    -380,75 (-2,85%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4046
    +0,0592 (+0,93%)
     

Florentino Pérez defende Superliga Europeia e desdenha de ameaças da UEFA: 'A lei nos protege'

Nathalia Almeida
·2 minuto de leitura

O mundo do futebol debate há 24 horas ininterruptas a formação da chamada Superliga Europeia, torneio oficialmente fundado no último domingo (18), com intuito de rivalizar com a UEFA e tirar da entidade o monopólio financeiro e esportivo de competições na Europa. Amplamente criticada por atletas, treinadores, torcedores, jornalistas e outros profissionais da bola, a nova competição tem Florentino Pérez, presidente do Real Madrid, como seu grande idealizador, entusiasta e principal mandatário: é ele quem atende pelo posto de presidente da competição e já responde por ela.

Bombardeado por críticas de todos os lados, Florentino foi procurado pelo 'El Chiringuito', veículo de imprensa espanhol, concedendo longa entrevista ao canal. Como era de se esperar, o mandatário defendeu ferrenhamente a recém-criada competição, alegando ser a solução ideal para salvar os clubes da crise financeira alavancada pela pandemia: "Muitos clubes importantes da Espanha, Itália e Reino Unido querem encontrar uma solução para uma situação financeira muito ruim. A única maneira é jogar jogos mais competitivos (...) O atraente no futebol é jogar entre grandes clubes, o valor da televisão aumenta e mais renda é gerada. Não são apenas os ricos que querem a Superliga, estamos fazendo isso para salvar o futebol porque está em um momento crítico", afirmou.

Florentino Perez será o presidente da Superliga Europeia | Soccrates Images/Getty Images
Florentino Perez será o presidente da Superliga Europeia | Soccrates Images/Getty Images

Quanto às possíveis retaliações, Florentino se mostrou muito seguro e praticamente desafiou a UEFA a seguir adiante com suas ameaças: "Jogadores banidos? Não se preocupe, isso não vai acontecer. Eles não serão banidos se ingressarem na Superliga. Real Madrid, Manchester City e Chelsea como os outros clubes não serão banidos da Champions League ou das ligas nacionais. 100%, tenho certeza. Impossível, pois a lei nos protege", cravou.

Perguntado sobre PSG e Bayern de Munique, duas potências que não aparecem entre os clubes fundadores, o presidente merengue não se mostrou preocupado em caso de recusa: "O PSG ainda não foi convidado e nem falamos com os clubes alemães. Por agora somos 12 clubes, queremos nos tornar 15 clubes. Se PSG e Bayern de Munique recusarem, a competição não será cancelada. Isso é uma besteira", afirmou.

Agnelli e Florentino Perez são dois dos idealizadores da Superliga | GERARD JULIEN/Getty Images
Agnelli e Florentino Perez são dois dos idealizadores da Superliga | GERARD JULIEN/Getty Images

Por fim, Florentino fez críticas severas ao presidente da UEFA, Aleksander Čeferin, que mais cedo usou palavras fortes em seu posicionamento contra a Superliga Europeia e seus idealizadores: "Ceferin insultou Andrea Agnelli hoje, não é possível algo assim. É uma loucura falar de um presidente de um clube mundial como a Juventus. Isso é algo inaceitável, a UEFA deve mudar, não queremos um presidente que insulte os outros presidentes. Por que os salários da UEFA e da LaLiga não são públicos? Por que os salários não foram reduzidos como todos durante a pandemia? Precisamos de mais transparência. Sabemos o salário de LeBron James, mas não sabemos o salário do presidente da UEFA", concluiu.