Mercado fechará em 2 h 22 min

Flordelis tem 48 horas para colocar a tornozeleira eletrônica, determina Justiça

Ana Paula Ramos
·1 minuto de leitura
Flordelis (Foto: Claudio Andrade/ Câmara dos Deputados)
Flordelis (Foto: Claudio Andrade/ Câmara dos Deputados)

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) intimou no noite de ontem (6) a deputada federal Flordelis (PSD-RJ), acusada de ser a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, a colocar tornozeleira eletrônica em até 48 horas.

O pedido foi feito pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, responsável também pela acusação contra a deputada e pastora. Ela deverá se apresentar na Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) para colocar a tornozeleira.

Leia também

No último sábado (3), a Justiça do Rio havia autorizado o uso de força policial para intimar Flordelis a utilizar tornozeleira eletrônica após não conseguir localizar a deputada em sua casa em Niterói ou no apartamento funcional em Brasília.

Na última quinta-feira (1º), o corregedor da Câmara dos Deputados, Paulo Bengtson (PTB-PA), entregou parecer favorável à continuidade do processo disciplinar contra a deputada, que pode levar à cassação do mandato dela.

Segundo o deputado, o processo agora será enviado à Comissão de Ética da Câmara, que está sem atividades desde março devido à pandemia do novo coronavírus.

Apesar de ser apontada como a mentora do plano para matar o marido, Flordelis não foi presa já que ocupa um mandato na Câmara dos Deputados, que deve analisar pedido judicial de afastamento da deputada.

A Constituição garante imunidade prisional a parlamentares, exceto em casos de flagrante de crime inafiançável. Até o momento, não houve pedido judicial para o afastamento.