Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.750,22
    +1.458,62 (+1,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.646,03
    -288,18 (-0,66%)
     
  • PETROLEO CRU

    46,09
    +0,45 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.837,70
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    19.073,65
    +25,36 (+0,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    365,19
    -14,05 (-3,71%)
     
  • S&P500

    3.699,12
    +32,40 (+0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.218,26
    +248,74 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.550,23
    +59,96 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    26.835,92
    +107,42 (+0,40%)
     
  • NIKKEI

    26.751,24
    -58,13 (-0,22%)
     
  • NASDAQ

    12.509,25
    +47,00 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2497
    +0,0137 (+0,22%)
     

Fleury tem lucro 45% maior no 3º tri, com flexibilização da quarentena

Por Aluisio Alves
·1 minuto de leitura
.
.

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - O Fleury reportou forte alta dos indicadores financeiros e operacionais no terceiro trimestre, uma vez que a gradual flexibilização do isolamento social permitiu ao grupo de medicina diagnóstica ampliar receitas com consultoria e retomar procedimentos represados durante o pico da Covid-19.

A companhia anunciou nesta quinta-feira que seu lucro de julho a setembro somou 132,1 milhões de reais, um aumento de 45% em relação a igual período de 2019.

Além da retomada dos chamados serviços eletivos, o Fleury teve o faturamento reforçado com a venda de testes para o coronavírus -já foram mais de 1,3 milhão - e por mais de 500 contratos de consultoria para empresas que estão retomando as atividades produtivas.

Assim, a receita líquida do trimestre cresceu 15,7%, para 874,6 milhões de reais. "Não apenas conseguimos protagonizar uma retomada vigorosa, como também (...) ajudamos centenas de empresas brasileiras a voltar ao trabalho de forma segura, saudável e sustentável", afirmou a companhia no relatório.

E o resultado operacional medido pelo lucro antes de impostos, juros, amortização e depreciação (Ebitda), somou 323,8 milhões de reais, alta de 35,7% ano a ano e bem acima da previsão média de analistas consultados pela Refinitiv, de 211,1 milhões de reais. A margem Ebitda subiu 5,4 pontos percentuais, para 37%.

(Edição Alberto Alerigi Jr.)