Mercado fechado
  • BOVESPA

    99.605,54
    -1.411,42 (-1,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.001,31
    -244,55 (-0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,78
    -0,79 (-2,00%)
     
  • OURO

    1.906,80
    -5,10 (-0,27%)
     
  • BTC-USD

    13.718,95
    +38,21 (+0,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    270,32
    +9,03 (+3,46%)
     
  • S&P500

    3.390,68
    -10,29 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    27.463,19
    -222,19 (-0,80%)
     
  • FTSE

    5.728,99
    -63,02 (-1,09%)
     
  • HANG SENG

    24.787,19
    -131,59 (-0,53%)
     
  • NIKKEI

    23.485,80
    -8,54 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    11.527,75
    -60,25 (-0,52%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7181
    +0,0776 (+1,17%)
     

Flávio Bolsonaro 'dá bolo' no MPF para cantar com Sikêra Jr: 'Todo maconheiro dá'

Redação Notícias
·2 minutos de leitura
Sikêra Jr recebeu Flávio e Eduardo Bolsonaro em seu programa (Instagram/@bolsonarosp)
Sikêra Jr recebeu Flávio e Eduardo Bolsonaro em seu programa (Instagram/@bolsonarosp)

Flávio Bolsonaro tinha uma acareação marcada com o Ministério Público Federal (MPF), no Rio de Janeiro, nesta segunda (21), mas não compareceu com a alegação de que estava cumprindo agenda oficial no Amazonas. No entanto, o compromisso do senador era uma visita ao programa do apresentador Sikêra Jr.

Flávio e o irmão Eduardo, deputado federal, foram os convidados dos programas Alerta Amazonas, transmitido localmente pela ‘TV A Crítica’, e Alerta Nacional, exibido em rede nacional pela Rede TV.

Leia também

Durante a presença no estúdio, os irmãos Bolsonaro “cancelaram CPFs” quando Sikêra comemorava a morte de um suspeito de um crime e também cantaram uma música de teor homofóbico junto com a equipe do apresentador. “Todo maconheiro dá o anel”, “Todo maconheiro dá o boga” e “Todo maconheiro dá o toba” eram partes da música entoada pelo grupo.

No vídeo também podem ser vistas mais duas personalidades do governo: o secretário da Pesca Jorge Seif e o presidente da Embratur, Gilson Machado.

Flávio era esperado no MPF do Rio de Janeiro para uma acareação sobre o suposto vazamento de informações de uma investigação da Polícia Federal que mirava a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, incluindo o gabinete do então deputado estadual.

A outra parte ouvida na acareação seria o empresário Paulo Marinho, suplente de Flávio durante a candidatura ao Senado, que afirma que a família Bolsonaro teria recebido informações sobre a operação de um delegado da Polícia Federal.