Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,10 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,43 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -0,70 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    59.751,03
    +73,21 (+0,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,35 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,00 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,30 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,06 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    -18,50 (-0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7599
    +0,1250 (+1,88%)
     

Torcedor precisa ser respeitado e compreendido

Mauro Beting
·4 minuto de leitura
RIO DE JANEIRO, BRAZIL - FEBRUARY 14: Gabriel Barbosa of Flamengo celebrates with a coach Rogerio Ceni after scoring a goal during a match between Flamengo and Corinthians as part of 2020 Brasileirao Series A at Maracana Stadium on February 14, 2021 in Rio de Janeiro, Brazil. (Photo by Buda Mendes/Getty Images)

O 2 a 2 no turno foi lindo. Um espetáculo de futebol que eu não esperava ver em BR-20 tão fraco - independente da pandemia. O 2 a 1 da virada rubro-negra no clássico e na tabela do Brasileirão foi muito menos jogo. Ou mais um jogo fraco, de raras emoções e qualidades para tamanhas camisas e campeonato, para tanto investimento do Flamengo que só tem quase o mesmo time espetacular de 2019. Mas longe daquele futebol encantador. E ainda assim com chances cada vez maiores de título.

BR-20 que esteve aos pés colorados dos 8 minutos aos xx. Quando Edenilson mandou no ângulo um pênalti infantil de Gustavo Henrique em Yuri Alberto. Puxão claro de camisa que os atletas parecem esquecer que é falta. Com VAR pra rever, pênalti claro - a não ser que você seja um mau ár…

Leia também:

Eu teria expulsado Rodinei por uso de força excessiva no pisão em Filipe Luís. Pelo VAR, não dentro de campo. Lance muito discutível - SEM DONO DA RAZÃO. Eu teria expulsado Cortez pelo mesmo motivo no pisão em Heitor no Gre-Nal do turno. Pelo VAR, não no campo. Também discutível. Teria feito o mesmo que o mesmo árbitro fez nos dois lances. A diferença é que Raphael Claus foi chamado pelo VAR no Maracanã e reavaliou o lance. No Sul, o VAR não o chamou. Os árbitros de VAR eram diferentes nos dois clássicos. Com interpretações distintas. Todas elas válidas. Ou mais defensáveis que as teorias conspiratórias que já deram o título de 2020 ao São Paulo, depois ao Inter, e agora ao Flamengo. Mais um gigantesco desserviço que alguns coleguinhas dão ao debate mais ras…

- Quais os maiores times que você já viu na vida?

Fla 81. Barca. Fla 19.

- Um time e um jogador superestimados

Ibra. Raul. Inter bicampeã.

- Um time e um jogador subestimados

Iniesta. Itália 82. Brasil 94.

- Um jogo que mais te irritou na vida

0 x 1 86. Pênaltis francas.

- Um jogo que já te fez chorar

82. Biro

- A discussão mais tensa que já teve por causa de futebol

Várias. Sveitet. Mustafa. Farah. Ronaldo. Rogério.

- Qual comentário do futebol/esporte que mais te irrita quando você ouve?

Elemento surpresa. Luís Pereira. Paulinho. Time tem gordura. Último terço.

- Que personalidade do esporte você queria tomar umas, conversar ao vivo?

Cruyff

- Qual a pergunta que você mais sonha em fazer pra algum jogador?

Maradona. Fenwicm

- Que mo…

Sentimento de torcedor sempre precisa ser compreendido ainda quando incompreensível. Respeitado sempre.

É amor. É incondicional.

Um clube pode comprar um craque. Pode junto no pacote vir um ídolo. Mas o mais usual é o ídolo ir se formando e forjando com o tempo senhor da emoção.

Para não ir longe: Renato, Falcão, Tostão, Reinaldo, Pelé, Rivellino, Ademir da Guia, Rogério Ceni, Zico, Dinamite, Nilton Santos são possivelmente os maiores ídolos (e quase todos também) maiores craques de seus clubes.

Deles, apenas Rivellino, possivelmente maior ídolo (e craque) do Fluminense, chegou já enorme.

Os demais se fizeram nos clubes. Ou lá cresceram para serem do tamanho que são.

Falo isso por idolatria se construir a cada jogo. Não a cada vitória ou título. A cada partida. Suor. Sangue. Alma.

Ela pode se perder. Ser superada. Uma série de situações.

Mas deve ser respeitada sempre. Ainda que o ídolo as vezes faça por onde descer do pedestal. Ou ser derrubada como estátua pela turba. Ignara ou não.

Rogério Ceni enalteceu o torcedor do clube que hoje dirige. De modo como há anos eu falo de Flamengo e Corinthians, com suas peculiaridades. Eu posso. Sou apenas um jornalista esportivo metido - redundância. Mas ao enaltecer o rubro-negro, Ceni comparou a paixão com a do são-paulino...

"Minha linda, como você é bela. Você tem olhos mais bonitos que a minha ex".

Eu preciso dizer isso? Não.

É mentira? Não - pelo ponto de vista expresso por ele.

Ele foi empreguista? Não.

Ele foi político? Com o clube atual, sim. Na condição de M1TO tricolor, poderia ter evitado. Até por muita gente não sacar o que ele quis dizer.

A condição dele como treinador é tão especial quanto ele.

Mas certas "verdades" precisam ser evitadas. Como Abelão quando disse que o Beira-Rio é lindo e que é "normal" o visitante ser derrotado como ele foi com o Flamengo dele no BR-19.

Falou "mentira"? Não. Mas convém evitar o ululante. Para não dar mais razão para a esquadra que zurra orneje.