Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    56.846,95
    -1.987,36 (-3,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Flamengo e Palmeiras mostraram que estão à frente dos adversários

Alexandre Praetzel
·2 minuto de leitura
Gabriel comemora o título da Supercopa do Brasil. Foto: Fernando Alves/AGIF
Gabriel comemora o título da Supercopa do Brasil. Foto: Fernando Alves/AGIF

Flamengo e Palmeiras fizeram uma decisão muito boa da Supercopa do Brasil. O segundo título consecutivo rubro-negro do torneio mostrou dois times ofensivos, criativos e técnicos no tempo normal, com a vitória flamenguista nos pênaltis. Diego Alves acabou sendo o grande personagem, num momento que o Palmeiras teve duas oportunidades para levar a taça, com Luan e Danilo desperdiçando as cobranças.

Desde o início, Flamengo e Palmeiras quiseram jogo e partiram para o ataque. Veiga abriu o placar num drible lindo sobre William Arão e Gabriel empatou, após lance de futsal de Filipe Luís. O Fla virou com Arrascaeta batendo no contrapé de Weverton com cinco palmeirenses apenas assistindo. A virada carioca foi justa pela qualidade dos atletas, mas o Palmeiras foi prejudicado com um pênalti bem assinalado por Leandro Vuaden, que voltou atrás por determinação de Wagner Reway, o analista do VAR.

No segundo tempo, Abel Ferreira(bem expulso por reclamação) voltou com Gabriel Menino e Danilo nos lugares de Felipe Melo e Zé Rafael. O Palmeiras equilibrou o meio-campo, ajustou a marcação e tirou os espaços do Flamengo. O Verdão cresceu e criou várias chances até igualar o escore com pênalti convertido por Veiga, depois de falta de Rodrigo Caio em Rony. O resultado acabou sendo correto pelos desempenhos das duas equipes.

O cenário pós-final é uma constatação de que Flamengo e Palmeiras estão à frente dos seus adversários. Talvez o Atlético-MG possa ser um oponente mais próximo dos dois. Com elencos de qualidade e boas opções, Flamengo e Palmeiras poderão manter o protagonismo se entenderem que não é possível se acomodar e achar que só com nomes, as conquistas virão.

Vem aí a Libertadores da América e a Série A do Brasileiro, além da Copa do Brasil. Os pódios têm vagas bem guardadas para os dois. É só focar, concentrar e respeitar o futebol.