Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.241,63
    +892,84 (+0,74%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.458,02
    +565,74 (+1,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,31
    -0,05 (-0,10%)
     
  • OURO

    1.841,70
    +11,80 (+0,64%)
     
  • BTC-USD

    37.003,88
    +438,93 (+1,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    724,21
    -10,93 (-1,49%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.720,65
    -15,06 (-0,22%)
     
  • HANG SENG

    29.100,17
    +237,40 (+0,82%)
     
  • NIKKEI

    28.620,22
    +378,01 (+1,34%)
     
  • NASDAQ

    12.868,75
    +66,50 (+0,52%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4019
    +0,0066 (+0,10%)
     

Flamengo ameaça ida ao STJD se Botafogo não retirar faixa do Nilton Santos

·1 minuto de leitura
Foto: Divulgação

Antes de a bola rolar para o clássico entre Botafogo e Flamengo, neste sábado, uma faixa com o dizer "aqui nós prezamos pela vida foi estendida nas arquibancas do Estádio Nilton Santos. O ato, obviamente, não agradou ao lado rubro-negro.

Nas redes sociais, o vice-presidente jurídico do Flamengo, Rodrigo Dunshee, ameaçou ir ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva se o Botafogo não retirar a faixa do local.

"Vou usar esse espaço para pedir ao presidente do Botafogo que retire essa faixa agressiva que é deselegante e tenho certeza que não partiu dele, mas se ele permitir será. Acho que isso não precisa virar uma questão que seja remetida ao STJD. Somos adversários e não inimigos", escreveu Dunshee.

O EXTRA apurou que a faixa não foi colocado pelo Botafogo, mas por uma torcida organizada do clube alvinegro. Em clássicos anteriores, outras faixas provocativas também foram incluída e não foram retiradas.

A faixa da torcida do Botafogo faz referência ao incêndio do Ninho do Urubu, em 2019, quando dez atletas da base rubro-negra faleceram. O Flamengo ainda não chegou a um acordo financeiro com as famílias de todas as vítimas.