Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.742,58
    -1.199,10 (-1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.776,62
    -822,76 (-1,59%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,49
    -1,65 (-1,94%)
     
  • OURO

    1.838,30
    +6,50 (+0,35%)
     
  • BTC-USD

    36.452,49
    +1.287,78 (+3,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    829,04
    +18,44 (+2,28%)
     
  • S&P500

    4.379,46
    -18,48 (-0,42%)
     
  • DOW JONES

    34.123,50
    -141,87 (-0,41%)
     
  • FTSE

    7.297,15
    -196,98 (-2,63%)
     
  • HANG SENG

    24.656,46
    -309,09 (-1,24%)
     
  • NIKKEI

    27.588,37
    +66,11 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    14.266,50
    -160,00 (-1,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2187
    +0,0287 (+0,46%)
     

Fintech Eutbem oferece consórcio voltado para mulheres

·2 min de leitura

Acesso a crédito justo para mulheres. Essa é a proposta da fintech Eutbem, que é a primeira no segmento de consórcio voltada para o público feminino. Já autorizada pelo Banco Central, a empresa quer atuar na venda de consórcios, que hoje é feita quase exclusivamente por grandes bancos e conglomerados financeiros.

Segundo a fintech, a ideia é ajudar as mulheres a realizarem seus sonhos: abrir um negócio, reformar a casa, viajar, estudar, fazer uma cirurgia plástica ou qualquer outro. O mercado de consórcios representa 3,9% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e, em 2020, o setor totalizou R$ 289 bilhões em ativos.

Em outubro de 2021, o segmento atingiu o recorde de consorciados: 8,4 milhões. Dados da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio (Abac) mostram que, apesar de existirem 142 administradoras de consórcio, mais de 50% das cotas pertencem a grandes bancos e conglomerados financeiros.

Fintech cria consórcio voltado para mulheres (Imagem: Reprodução/Envato/Wavebreakmedia)
Fintech cria consórcio voltado para mulheres (Imagem: Reprodução/Envato/Wavebreakmedia)

Apesar de 45% dos lares brasileiros (34,4 milhões) serem chefiados por mulheres — segundo dados de 2019 da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua, conduzida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) —, somente 35% dos consórcios pertencem a elas, de acordo com a Abac.

A Eutbem quer trazer para as mulheres a mesma oportunidade de conquista de crédito. “A missão da Eutbem é incentivá-las a dar o primeiro passo rumo à realização de seus sonhos, por meio de parcelas acessíveis e com planos simples de entender, sem pegadinhas ou taxas escondidas”, explica Cristina Famano, sócia-fundadora e CEO da Eutbem.

A executiva explica que a companhia quer oferecer um produto com comunicação voltada para as mulheres. “Sem clichês, que dialogue de verdade”, destaca. “Queremos escrever uma nova história no segmento de consórcios, que já é consagrado no Brasil.”

Consórcios de serviços

Os consórcios de serviços foram criados em 2008. Em 2020, foram R$ 461,55 milhões oferecidos em crédito: 171% a mais que em 2019. Em outubro de 2021, o segmento ultrapassou R$ 1 bilhão de créditos comercializados e mais de 197,20 mil cotas ativas.

A oferta de lançamento da Eutbem tem taxa zero até a contemplação, sem cobrança retroativa. Após a contemplação, a taxa mensal é de 0,5% do crédito concedido — se o resgate ocorrer apenas no fim do período, a taxa de administração será zero e o valor do crédito terá sido reajustado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Os grupos são pequenos, as cartas de crédito variam de R$ 15 mil a R$ 25 mil, a parcelas são a partir de R$ 375 e a duração é de 30 a 40 meses. A contratação pode ser feita pelo site, por telefone (0800 2838 339), por WhatsApp ou por meio de vendedores.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos