Mercado fechado

Fim de semana em quarentena? "Viaje" pelo espaço sem sair de casa!

Fidel Forato

Ficar em casa, pensando que um mundo enorme, lá fora, está te esperando, é no mínimo complicado e até triste. Agora, ficar na Terra, enquanto há um universo inteiro - ainda em expansão - para ser desbravado, pesquisado e conhecido pode ser, de fato, considerado um tédio. Em outras palavras, a vida é uma grande questão de perspectiva. E nessa época de isolamento social, por que não aproveitar esse tempo (extra) para conhecer o espaço - mas sem sair de casa?

Explore o espaço do conforto de seu lar

O Google Street View permite uma visita 360º pela Estação Espacial Internacional (ISS). O laboratório internacional está a 400 quilômetros de altitude e lá, são feitas inúmeras pesquisas científicas, como investigações sobre corpo humano na microgravidade, além de estudos sobre ciclones ou monitoramento dos oceanos, mas tudo visto muito de cima. Essa com certeza é a vista espacial mais bonita e mais admirada por humanos até hoje. Uma visita pela ISS também pode ser feita em 3D; assim, é possível "flutuar" pelos laboratórios orbitais - inclusive, na perspectiva de um astronauta. É um bom começo!

Ampliando o alcance de sua próxima missão espacial, é possível investigar milhões de estrelas, a partir do Gaia Sky, que é um programa para visualização astronômica em 3D, em tempo real. Desenvolvido pela Universidade de Heidelberg, na Alemanha, o Gaia Sky simula o Sistema Solar, mas também permite que o usuário encontre aglomerados de estrelas e até mesmo galáxias mais próximas, por exemplo.

Já para ver "todo" o espaço ou uma parte bem significativa do que é conhecido pelos humanos, vale acessar a plataforma ESASky que é uma espécie de atlas celestial. A plataforma oferece aos astrônomos profissionais e amadores mais de meio milhão de imagens (tiradas em missões espaciais da NASA, da ESA e da JAXA) pelo navegador do seu computador. A seguir, confira algumas de suas funções:

Plataforma permite explorar o espaço sem sair de casa (Gif: Reprodução/ ESASky)

Visite as instalações da NASA

Já pensou em ser um astronauta da NASA por um dia? Essa missão pode ser um tanto distante para uma muitos terráqueos, mas a agência espacial norte-americana traz uma série de tours 360 º sobre suas instalações. É o caso do Centro de Pesquisa John H. Glenn, em Ohio, ou ainda o Centro de Pesquisa Langley, em Virgínia. Esse é um dos centros mais antigos da NASA e realiza pesquisas aeronáuticas desde 1915

Pelo Google Expeditions, é possível uma visita ao Centro de Pesquisa de Voo Neil A. Armstrong da NASA, na Califórnia, incluindo o prédio principal da administração, além de conhecer um hangar com as aeronaves, uma sala de controle e a área onde acontecem os preparativos finais antes da decolagem.

Colabore com a ciência, mesmo sem ser cientista

Uma importante atividade que reúne tanto cientistas quando entusiastas da astronomia é ciência cidadã, que permite que todos participem de investigações de ponta em vários campos das ciências e permite a análise de grandes quantidades de dados de forma colaborativa. Nesse campo, há muitas pesquisas como essas on-line, principalmente no Zooniverse, que é uma das maiores plataformas do mundo sobre o tema.

É o caso do projeto Galaxy Zoo, lançado em 2007, que convida voluntários a realizarem diferentes investigações visuais e classificarem formas das galáxias em imagens astronômicas. Até o momento, envolveu milhares de voluntários e já levou dezenas de publicações científicas.

E, no ano passado, uma equipe de astrônomos e de engenheiros de programação lançaram o Hubble Asteroid Hunter, um projeto de ciência cidadã que trabalha a partir da análise de imagens de arquivo do Telescópio Espacial Hubble, administrado pela NASA e pela ESA. A ideia desses caçadores de asteroides, literalmente, é identificar as trilhas e os caminhos desses corpos rochosos no material já existente, para que, assim, possam ser acompanhados.

Já no projeto Planet 9, o usuário colabora distinguindo objetos celestes reais e até potenciais novos planetas (como o hipotético "Planeta 9" do Sistema Solar) de artefatos de imagem - capturas que podem confundir os olhos, mas não significam nada - em registros da missão WISE (Wide Field Infrared Survey Explorer), da NASA.

Leia eBooks (grátis) sobre o espaço

Para se aprofundar nas pesquisas no campo da astronomia, a NASA disponibiliza uma infinidade de e-books disponíveis para Kindle, em ePUB para outros eReaders, e também em PDF. Para baixar e conferir todo o catálogo, basta acessar o site oficial da agência.

É o caso do livro Earth, de 2019, que traz um extenso ensaio fotográfico do planeta azul, construído a partir de imagens feitas pela NASA em diferentes missões. Ou ainda o The Saturn System Through the Eyes of Cassini, de 2017, construído a partir das 450.000 mil imagens capturadas pela missão Cassini que estudou Saturno de pertinho, fornecendo uma nova visão sobre o mítico planeta. Todos em inglês, no entanto - mas as belas imagens já valem a pena o download.

Atividades para os astronautas mirins

Para as crianças começaram a aprender sobre o Sistema Solar e sua infinidade de mistérios, este site da Agência Espacial Europeia (ESA) traz inúmeros materiais e atividades para despertar o gosto pela ciência em crianças e jovens. E a NASA mantém uma plataforma semelhante com dicas e pequenas aulas sobre o espaço sideral para as crianças.

Além de atividades "faça-você-mesmo", as agências especiais compartilham algumas opções de montagens 3D para as crianças aprenderem sobre importantes instrumentos de pesquisa dos astronautas, como um satélite que pode ser montado em casa (link para a impressão) ou ainda um globo Hipparcos que traz um mapa de constelações para os pequenos (link).

Fonte: Canaltech