Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.933,78
    -180,15 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.072,62
    -654,36 (-1,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,48
    +0,35 (+0,55%)
     
  • OURO

    1.771,20
    -9,00 (-0,51%)
     
  • BTC-USD

    56.445,28
    +210,14 (+0,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.275,91
    -23,05 (-1,77%)
     
  • S&P500

    4.163,26
    -22,21 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    34.077,63
    -123,04 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.000,08
    -19,45 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    29.106,15
    +136,44 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.685,37
    +2,00 (+0,01%)
     
  • NASDAQ

    13.894,00
    -135,50 (-0,97%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6757
    -0,0104 (-0,16%)
     

Filmes sobre o caso Richthofen ganham cenas inéditas; confira

Beatriz Vaccari
·2 minuto de leitura

Os filmes baseados no caso Richthofen acabaram de ganhar cenas inéditas num novo clipe divulgado pela Galeria Distribuidora. Momentos de A Menina que Matou os Pais e O Menino que Matou meus Pais foram transformados em um vídeo especial para cover da música Love Will Tear Us Apart, da banda Joy Division. Assista acima.

(Imagem: Divulgação / Galeria Distribuidora)
(Imagem: Divulgação / Galeria Distribuidora)

Estrelados por Carla Diaz e Leonardo Bittencourt, os longas são baseados nos autos do processo do crime que chocou o Brasil. Comandados pelo diretor Maurício Eça, ambos filmes seguem o roteiro assinado por Ilana Casoy e Raphael Montes. Love Will Tear Us Apart contará com duas versõesque são tocadas no ápice e finais dos filmes. Em A Menina que Matou os Pais, que conta o ponto de vista de Daniel Cravinhos, a canção é interpretada pela cantora Manu Pinto; já em O Menino que Matou meus Pais, versão de Suzane Richthofen, por João Côrtes.

A Menina Que Matou os Pais se passa em 2002, ano do crime cometido em São Paulo. O assassinato de Manfred e Marísia teve o pontapé dado pela própria filha Suzane e o namorado Daniel, que agiram em conjunto com o irmão Christian Cravinhos. O longa-metragem acompanhará o julgamento do ex-casal a partir de dois diferentes pontos de vista, quase 20 anos após o ocorrido.

(Imagem: Divulgação / Galeria Distribuidora)
(Imagem: Divulgação / Galeria Distribuidora)

Os filmes, no entanto, não defenderão os atos de Suzane Von Richthofen. Ao Adoro Cinema, o diretor Eça esclareceu que nenhum dos envolvidos está ganhando dinheiro com a produção. "O filme todo é baseado num processo penal, então não estamos contando algo que já não foi divulgado. Eles são réus confessos. O filme não tem a pretensão nem de julgar, nem defendê-los. Eles estão pagando pelo crime que fizeram. A gente quer contar da maneira mais responsável possível, com todo o respeito, pois sabemos bem da gravidade de tudo o que aconteceu", declarou.

(Imagem: Divulgação / Galeria Distribuidora)
(Imagem: Divulgação / Galeria Distribuidora)

Além de Carla Diaz e Leonardo Bittencourt, Leonardo Medeiros, Vera Zimmermann, Debora Duboc, Augusto Madeira, Allan Souza Lima e Kauan Ceglio completam o elenco de A Menina que Matou os Pais e O Menino que Matou meus Pais.

Ambos filmes serão lançados de forma simultânea, porém exibidos em sequência nas telonas. Ainda não há uma previsão de estreia, mas há esperança de que os longas cheguem aos cinemas ainda neste ano.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: