Mercado abrirá em 3 mins
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,82 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,44 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,72
    +0,96 (+1,15%)
     
  • OURO

    1.802,00
    +5,70 (+0,32%)
     
  • BTC-USD

    62.852,39
    +2.575,25 (+4,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,70 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,92 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.227,51
    +22,96 (+0,32%)
     
  • HANG SENG

    26.132,03
    +5,10 (+0,02%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.379,25
    +38,25 (+0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5578
    -0,0230 (-0,35%)
     

Filmes que contam o caso Richtofen estreiam no Amazon Prime Video; saiba tudo

·3 minuto de leitura

Finalmente os tão esperados filmes sobre o caso Richtofen foram lançados no Amazon Prime Video. A Menina Que Matou os Pais e O Menino Que Matou Meus Pais são baseados na história de Suzane von Richtofen que, em 2002, planejou o assassinato dos próprios pais junto ao namorado, Daniel Cravinhos, e cada produção conta o caso sob uma perspectiva diferente.

O lançamento dos filmes, ao contrário do que havia sido planejado antes da pandemia, acontece internacionalmente somente no serviço de streaming da Amazon. Cada uma das produções tem cerca de 80 minutos de duração, trazendo a história com base nas informações presentes nos autos do processo, que resultou na prisão do casal e do irmão de Daniel, Christian.

<em>Imagem: Divulgação/Galeria Distribuidora</em>
Imagem: Divulgação/Galeria Distribuidora

Os filmes são dirigidos por Maurício Eça e roteirizados por Ilana Casoy e Raphael Montes, estrelados por Carla Diaz como Suzane von Richtofen e Leonardo Bittencourt como Daniel Cravinhos, contando ainda com Allan Souza Lim, Kauan Ceglio, Leonardo Medeiros, Vera Zimmermann, Augusto Madeira, entre outros.

Pandemia

A Menina Que Matou os Pais e O Menino Que Matou Meus Pais estreariam nos cinemas no dia 19 de março de 2020, mas o lançamento foi cancelado devido à pandemia da covid-19, que estava apenas começando.

Na estreia, o espectador precisaria escolher qual filme assistir, mas também haveriam pacotes disponíveis para poder conferir os dois longas em sequência ou em dias diferentes. Depois de alguns adiamentos, ficou decidido que a estreia aconteceria somente no streaming.

Em qual ordem assistir?

Por serem dois filmes sobre a mesma história, mas com perspectivas diferentes, você deve estar se perguntando em qual ordem deve assistir. Independentemente da escolha, a história não será afetada, mas Maurício Eça tem a sua recomendação. Para o diretor, a melhor forma de aproveitar essa experiência é assistindo primeiro a O Menino que Matou meus Pais, que mostra o ponto de vista de Suzane, para então conferir A Menina Que Matou os Pais, que mostra a perspectiva de Daniel.

Relembre o caso

Em outubro de 2002, os irmãos Cravinhos assassinaram Manfred Albert e Marísia von Richtofen, em plano supostamente encabeçado pela própria filha do casal, Suzane von Richtofen. Na época com 18 anos, a jovem relatava sofrer bastante pressão dos pais em relação ao relacionamento com o namorado, que não era aprovado. Isso teria sido o motivo principal para orquestrar o crime, ainda que a investigação acredite que houveram outras motivações.

Existem diversas versões sobre o que aconteceu antes e após o assassinato, questão que inspirou a produção dos filmes. Suzane diz que Daniel teve a ideia do crime sozinho e a convenceu de que o assassinato deveria acontecer, enquanto ele diz que, na verdade, foi ela quem planejou o crime sozinha e apenas ordenou que ele sujasse as mãos. O trio foi julgado em 2006 e condenado a 39 anos de prisão cada.

O Menino Que Matou Meus Pais e A Menina Que Matou os Pais já estão disponíveis no Amazon Prime Video.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos