Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.034,52
    -694,06 (-1,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Filmes lançados em streaming parecem fakes, reclama diretora de Mulher-Maravilha

·3 minuto de leitura

A briga por causa do lançamento simultâneo de filmes no cinema e plataformas de streaming parece estar longe do fim. Depois do processo de Scarlett Johansson contra a Disney por causa de Viúva Negra, agora é a diretora de Mulher-Maravilha 1984, Patty Jenkins, quem decidiu reclamar da estratégia dos estúdios, dizendo que esse tipo de lançamento faz parecer que os filmes são falsos.

Durante um painel sobre o futuro da Sétima Arte realizado no CinemaCon, evento voltado ao mercado cinematográfico realizado nos Estados Unidos na última semana, a diretora criticou as estreias digitais e disse que todos os filmes a que assistiu que receberam esse tratamento não pareciam de verdade, principalmente em termos de recepção do público.

Diretora reclamou da falta de discussões sobre filmes lançados em streaming — e, no caso de Mulher-Maravilha 1984, ela deveria ver isso como um favor (Imagem: Divulgação/Warner Bros.)
Diretora reclamou da falta de discussões sobre filmes lançados em streaming — e, no caso de Mulher-Maravilha 1984, ela deveria ver isso como um favor (Imagem: Divulgação/Warner Bros.)

Segundo ela, o principal ponto é a falta de engajamento e que, ao contrário do que acontece quando um longa chega ao cinema, os lançamentos em streaming não são tão discutidos pelo espectador. Jenkins diz que, nesse um ano e meio de lançamentos híbridos, ela quase não ouviu as pessoas falando sobre uma grande estreia e nem mesmo leu artigos sobre os blockbusters do verão — por essa razão, ela vê o cinema atual como falso.

Dessa forma, a diretora é contundente ao falar que o modelo atual não está funcionando e que, pior, está tirando a grandeza que sempre acompanhou o cinema e as produções cinematográficas.

E a bronca da diretora com o formato é realmente compreensível, visto que Mulher-Maravilha 1984 foi um dos primeiros grandes blockbusters a chegar apenas ao streaming, em dezembro de 2020, quando os cinemas de todo o mundo ainda estavam fechados e as iniciativas híbridas não tinham iniciado. No ano passado, a Warner anunciou que faria todas as suas estreias de 2021 também na HBO Max, o que desagradou muitos cineastas e impactou diretamente as bilheterias.

No caso da mais recente aventura da amazona da DC, ela teve uma bilheteria total de US$ 166 milhões — abaixo dos US$ 200 milhões de orçamento para produzir o longa. Parte disso está, é claro, no fato de o filme ser ruim, mas o fato de ele ter sido liberado para assinantes da HBO Max também pesou bastante.

Bilheteria de Mulher-Maravilha amargou prejuízo (imagem: Divulgação/Warner Bros.)
Bilheteria de Mulher-Maravilha amargou prejuízo (imagem: Divulgação/Warner Bros.)

Isso fica mais claro no caso de O Esquadrão Suicida, que foi muito bem-recebido por crítica e público, mas segue patinando na bilheteria. Seu final de semana de estreia nos EUA arrecadou US$ 26 milhões e, no seguinte, despencou para apenas US$ 7,4 milhões — uma queda de 71,5% que indica que não é apenas a qualidade da produção que está fazendo o pessoal abandonar as salas de exibição.

Além disso, há o engajamento citado por Jenkins que, de certo modo, faz bastante sentido. Com o filme estando disponível a qualquer momento em plataformas como HBO Max, Disney+ e Netflix, não há mais aquele movimento de todo mundo ir assistir no mesmo dia e depois comentar nas redes sociais. Com a possibilidade de ver quando quiser, você pulveriza as discussões e isso, de fato, tira o peso do cinema como um evento social.

Ao mesmo tempo, ela também ignora fenômenos que nascem nas plataformas digitais. Mortal Kombat e Godzilla vs Kong são dois exemplos disso. Eles chegaram à HBO Max ao mesmo tempo de Mulher-Maravilha 1984 e conseguiram fazer muito barulho justamente pela acessibilidade do streaming — a ponto de ainda terem os melhores números da plataforma até agora.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos