Mercado fechado

Filipe Sabará, do Novo, é liberado pelo TSE para retomar campanha à prefeitura de São Paulo

·1 minuto de leitura
Filipe Sabará fez criticas a João Amoedo após ter candidatura suspensa (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)
Filipe Sabará fez criticas a João Amoedo após ter candidatura suspensa (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

O Tribunal Superior Eleitoral reverteu a decisão do partido Novo que proibia Filipe Sabará de ser candidato à prefeitura de São Paulo. A decisão de conceder a liminar foi do ministro Luis Felipe Salomão, tomada no dia 28 e divulgada na última quarta-feira, 30.

No dia 23 de setembro, o partido havia suspendido temporariamente os direitos de filiação de Filipe Sabará. O diretório nacional não esclareceu o motivo, mas a decisão foi tomada depois da ratificação do patrimônio do político e de Sabará elogiar o ex-prefeito da capital paulista Paulo Maluf.

Inicialmente, a declaração de bens de Sabará mostrava que ele tinha patrimônio de R$ 15 mil, mas foi corrigida para R$ 5 milhões. Em documento enviado ao TSE, Sabará alegou que havia sido um “lapso”.

Outra polêmica envolvendo Filipe Sabará foi o currículo, que tinha informações inverídicas. Segundo o documento do TSE, a suspensão aconteceu depois de uma denúncia sobre os dados falsos.

Leia mais sobre a eleição para prefeitos:

O ministro alega que a proibição de fazer campanha é excessivamente gravosa.

Depois de ser afastado, Sabará criticou João Amoedo, presidente e criador do partido Novo. “Estou sendo perseguido pelo João Amoedo e por uma ala minoritária do Partido NOVO, pois ele não permite visões diferentes das dele dentro do partido. Por isso, estão arquitetando críticas infundadas para acabarem com a minha candidatura”, disse.