Mercado abrirá em 1 h
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,10
    -1,29 (-3,45%)
     
  • OURO

    1.878,00
    -1,20 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    13.093,57
    -69,82 (-0,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    259,09
    -13,60 (-4,99%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.599,69
    +16,89 (+0,30%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.242,25
    +109,50 (+0,98%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7200
    -0,0144 (-0,21%)
     

Filipe Sabará diz ser alvo de perseguição após ser suspenso pelo Novo

Cristiane Agostine
·2 minutos de leitura

O candidato acusou o ex-presidente do partido João Amoêdo e até mesmo integrantes do MBL Divulgação Suspenso do Partido Novo, o candidato do partido à Prefeitura de São Paulo, Filipe Sabará, disse nesta quinta-feira ser alvo de perseguição dentro da legenda e afirmou que recorrerá à Justiça para tentar reverter seu afastamento da sigla, em plena campanha eleitoral. Ontem, o Novo determinou a suspensão da candidatura, que poderá ser impugnada. Sabará acusou o ex-presidente do partido João Amoêdo e até mesmo integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL) de tentarem boicotar sua candidatura. “Estou sendo perseguido pelo João Amoêdo (e por uma ala minoritária do Partido Novo) pois ele não permite visões diferentes das dele dentro do partido. Por isso, estão arquitetando críticas infundadas para acabarem com a minha candidatura”, afirmou Sabará, por meio de nota. “Infiltrados do MBL também estão nesse grupo de pessoas que estão tentando me prejudicar. Estou entrando com todos os meios jurídicos e medidas judiciais cabíveis, tanto para reverter a situação, quanto para processar os responsáveis”, disse. O diretório nacional do Novo decidiu suspender provisoriamente, em caráter liminar, a candidatura de Sabará, que já havia sido registrada na Justiça Eleitoral. O partido não divulgou os motivos da decisão e informou que o caso corre em sigilo dentro da legenda, mas informou que a suspensão foi determinada pelo conselho de ética. Sabará poderá apresentar sua defesa das acusações feitas pela sigla. Procurado pela reportagem, o presidente nacional do Novo, Eduardo Ribeiro, ainda não se manifestou. Sabará tem sido alvo de críticas dentro do Novo e a candidatura enfrenta resistência até mesmo de nomes que concorrerão a vereador nestas eleições pelo partido. O candidato gerou mal-estar na sigla ao defender o governo do presidente Jair Bolsonaro e até mesmo o ex-prefeito Paulo Maluf. Nesta semana, foi alvo de novas críticas ao mudar sua declaração de bens registrada na Justiça Eleitoral: os bens, antes registrados no valor de R$ 15,6 mil, agora foram declarados no valor de R$ 5,1 milhões. Em pesquisa Datafolha divulgada hoje, Sabará aparece com 1% de intenções de voto.