Mercado fechado

Filial de gigante chinesa em crise Evergrande tem queda de 10% na Bolsa

·1 minuto de leitura
Logotipo do grupo imobiliário Evergrande em Xangai (AFP/Hector RETAMAL)

As ações da filial de veículos elétricos da Evergrande, a incorporadora imobiliária chinesa em grave crise, registraram forte queda de 10% na Bolsa de Hong Kong.

Os títulos da Evergrande New Energy Vehicle (NEV) caíram a 1,95 dólar de Hong Kong, após o cancelamento no domingo do projeto de entrada na Bolsa de Xangai desta filial.

A Evergrande tem uma enorme dívida de mais de 300 bilhões de dólares e o temor de uma falência da gigante chinesa desestabilizou na semana passada os mercados financieros.

Em um comunicado divulgado no domingo, a Evergrande NEV explicou que os problemas de fluxo de caixa da empresa matriz teriam "um impacto material terrível" na produção em grande escala de veículos elétricos.

A filial NEV, que sonhava em competir com os carros elétricos da americana Tesla, muito populares na China, já perdeu 80% de seu valor na Bolsa desde o início do ano.

O temor de que a Evergrande repita na China, segunda maior economia mundial, um cenário parecido com o do Lehman Brothers, cuja falência precipitou a crise de 2008 nos Estados Unidos e no mundo, agitou os mercados financeiros nos últimos dias.

lxc/apj/leg/me/meb/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos