Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.552,44
    +12,61 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.669,25
    +467,44 (+1,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,77
    -0,26 (-0,65%)
     
  • OURO

    1.923,30
    -6,20 (-0,32%)
     
  • BTC-USD

    12.878,66
    +1.821,65 (+16,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    257,78
    +12,89 (+5,26%)
     
  • S&P500

    3.435,56
    -7,56 (-0,22%)
     
  • DOW JONES

    28.210,82
    -97,97 (-0,35%)
     
  • FTSE

    5.776,50
    -112,72 (-1,91%)
     
  • HANG SENG

    24.754,42
    +184,88 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    23.491,71
    -147,75 (-0,63%)
     
  • NASDAQ

    11.623,50
    -67,75 (-0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6510
    +0,0010 (+0,02%)
     

Filho de Cristian Cravinhos, assassino dos Richthofen, pede anulação de paternidade

·1 minuto de leitura
Jovem relatou que é olhado de forma estranha quando apresenta documento com nome do pai (Foto: Reprodução/TV Globo)
Jovem relatou que é olhado de forma estranha quando apresenta documento com nome do pai (Foto: Reprodução/TV Globo)

O filho de Cristian Cravinhos, responsável pelo assassinado de Manfred e Marísia Richthofen, entrou com um uma ação na Justiça anular a paternidade. Ele já conseguiu mudar o nome, em 2009, mas quer tirar os resquícios do pai dos documentos. A informação foi divulgada na coluna de Rogério Gentile, no UOL.

O jovem tinha três anos quando Cristian e Daniel Cravinho mataram o casal, aliados à filha deles, Suzane Ruchthofen. O crime aconteceu em 21 de outubro de 2002.

Em documento apresentado à justiça, o rapaz diz que sofre constrangimento e ser “fulminado por olhares desconfiados” sempre que apresenta documentos em que há o nome do pai. Ele ainda contou que sente vergonha.

Leia também

Além do desconforto gerado pela relação, o jovem relata que nunca teve qualquer tipo de amparo, seja afetivo ou matéria, de Cristian Cravinhos. Mesmo antes do crime, ele tinha pouco contato com o pai. Segundo Rogério Gentile, a última vez em que os dois se encontraram foi em 2010, quando o filho foi ao presídio de Tremembé, em São Paulo.

Cristian Cravinhos foi condenado a 38 anos de prisão e, em 2013, foi para o regime semiaberto. No entanto, ele se envolveu em uma briga doméstica e, em 2018, voltou para a prisão. Ele tentou subornar policiais e estava armado e, por isso, a pena aumentou em 4 anos e oito meses.