Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,53 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,15 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.865,90
    -50,40 (-2,63%)
     
  • BTC-USD

    22.935,59
    -504,25 (-2,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,89 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,36 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5362
    +0,0465 (+0,85%)
     

Fiesp tem guerra de versões e Josué chama assembleia de 'clandestina'

***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 26.05.2014: Josué gomes, Jantar em homenagem a ministra de Estado da Cultura Marta Suplicy, na residência do Sr. Ivo Rosset. (Foto: Bruno Poletti/Folhapress)
***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 26.05.2014: Josué gomes, Jantar em homenagem a ministra de Estado da Cultura Marta Suplicy, na residência do Sr. Ivo Rosset. (Foto: Bruno Poletti/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Fiesp (Federação das Indústrias de São Paulo) chega ao fim desta semana em meio a uma espécie de guerra de versões sobre a destituição de seu presidente, Josué Gomes. Para a oposição, ele não é mais presidente da entidade, enquanto seus aliados veem manobras ilegais para forçá-lo a sair.

Nesta sexta (20), já no início da noite, sindicatos ligados à federação começaram a receber uma correspondência por email informando que o vice-presidente Elias Miguel Haddad assumiu interinamente a presidência da entidade.

Cerca de duas horas depois, Josué Gomes divulgou uma notificação extrajudicial na qual diz ter recebido "com absoluta surpresa" a posse de Elias Haddad e que isso acontecia "em continuidade ao escuso propósito de destituir um presidente regularmente eleito e com mandato em curso".

O presidente da Fiesp afirma também que "tal atitude isolada, desproporcional, irresponsável" provoca riscos econômicos, jurídicos e trabalhistas. Na primeira manifestação pública sobre o assunto, Josué Gomes classifica a assembleia que votou sua destituição de clandestina.

Segundo o email enviado e assinado por Elias Miguel Haddad, ele informa ter assumido em decorrência da decisão tomada na assembleia geral extraordinária realizada no dia 16, quando o conselho de representantes, "após ouvir os argumentos de defesa e os rejeitar, deliberou pela destituição de Josué Gomes do cargo".

Um dirigente aliado a Josué disse que estranhou o comunicado de substituição do presidente, por ele ter sido assinado pelo próprio Elias Haddad.

Mais cedo, a Fiesp havia confirmado uma agenda de Josué Gomes marcada para a próxima segunda (23). Presidentes e representantes de sindicatos junto à Fiesp começaram a receber na quinta um convite de Gomes para uma reunião de formação de um "comitê de aprimoramento da governança."

Na assembleia do dia 16, houve a sugestão da criação de um grupo de trabalho com os sindicatos para discutir melhorias na gestão da Fiesp. No convite que enviou, Josué Gomes diz que se comprometeu com a proposta e que, por isso, queria discutir com os sindicatos quem participaria, o número de integrantes e o prazo de vigência.

Segundo dirigentes sindicais que receberam o comunicado, Elias Haddad informa, no comunicado de sua posse, que a reunião da próxima segunda-feira está cancelada. "Informamos, ainda, que não será possível a realização da reunião convocada para a próxima segunda-feira, dia 23, às 17h, para discutir o formato do(s) Comitê(s) de Aprimoramento da Governança", diz o comunicado a que a Folha de S.Paulo teve acesso.

Em outro trecho, o comunicado afirma que "a administração da Fiesp preza pelo rígido cumprimento do seu estatuto e pela boa convivência entre os pares que formam a instituição. Desta forma, não medirá esforços para pacificar a entidade e volta seu foco aos temas relevantes para o setor produtivo e o processo de reindustrialização do país."

Ele assina o comunicado como "presidente em exercício".

O estatuto da federação prevê que o sucessor é escolhido pela diretoria em até 30 dias contados da destituição. Esse novo presidente é escolhido entre os três vices numerados, como são chamados os primeiro, segundo e terceiro vices -Rafael Cervone Neto, Dan Ioschpe e Marcelo Campos Ometto.

Até a realização da reunião que decidiria por um dos três, fica na presidência o vice-presidente mais velho, que é Elias Miguel Haddad, de 95 anos.

Para delegados que estavam presentes na assembleia de segunda, o convite para a reunião foi lido como um sinal de que Josué Gomes não considera legítima a votação por sua destituição.

Um dirigente que pede para não ser identificado disse considerar aceitável que Josué contestasse o resultado ou mesmo levasse o caso à Justiça, mas que não poderia ignorar a decisão tomada na assembleia.

A plenária extraordinária realizada no dia 16 também é alvo de mais de uma interpretação. Aliados de Josué Gomes entendem que a destituição dele não era objeto da convocação feita por ele em edital publicado em dezembro.

Para a oposição, porém, a convocação da assembleia é baseada no artigo do estatuto que trata da perda de mandato. Além disso, um grupo de sindicatos havia convocado uma assembleia para discutir a conduta de Josué Gomes na presidência da Fiesp. Quando o presidente da entidade convocou a plenária extraordinária, eles recuaram e aceitaram que a discussão ficasse para o mesmo dia.

A segunda assembleia, onde a destituição foi aprovada por 47 dos votantes, foi realizada quando Josué Gomes e outros cerca de 30 representantes sindicais já tinham deixado o prédio. O advogado de Gomes, Miguel Reale Jr, considera que apenas a primeira assembleia realizada no dia 16 é válida.

Nesta sexta-feira, Josué esteve em Brasília (DF), em agenda oficial com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no Palácio do Planalto. Os dois são próximos; Lula chegou a convidá-lo para assumir a pasta de Indústria. Na agenda do presidente da República, Gomes é identificado como presidente da Fiesp.

Durante a semana, a Fiesp fez sua primeira manifestação sobre o assunto. Divulgou nota na qual afirma que Josué Gomes é o presidente da entidade e está no exercício de suas funções, conforme o estatuto.

Desde que a crise entre o atual presidente e dirigentes sindicais insatisfeitos com sua gestão ultrapassou os limites do prédio da avenida Paulista, em São Paulo, a Fiesp ainda não havia feito qualquer comentário.